Editorial: Diretor da MTV diz que protestantes são “adolescentes que perderam um brinquedo”

O diretor da MTV, Zico Goés, disse através de e-mail para um dos participantes do movimento “Boicote a Cicarelli” no site (www.boicoteacicarelli.com) e no Orkut que o movimento “é mais uma gritaria juvenil porque um brinquedo foi tirado do que um sentimento contra a censura”. No mesmo e-mail, Goés pergunta se os adolescentes não tem o mesmo fôlego para protestar com outras coisas que o Brasil precisa, como contra a corrupção e a violência.

Acabou-se, as últimas lembranças da MTV Brasil como emissora de televisão acabou pra mim. Essa última declaração dada pelo diretor da emissora acabou por chamar de otário os telespectadores da emissora paulistana. Últimamente a Revista Veja (do Grupo Abril, que é dona da MTV) publicou uma matéria falando que é ilegal a parceria da Gamecorp (a empresa do filho do Lula) com o Grupo Bandeirantes para criar a PlayTV. A antiga Rede 21, canal UHF da Band, se transformou em PlayTV, a maior concorrente da MTV.

A Band atacou no Jornal da Band, com editoriais e matérias especiais que pergunta se a parceria do Grupo Abril com várias empresas internacionais são legais, até mesmo com a Viacom, dona da MTV no mundo. Pra quem não sabe, somente empresas nacionais podem ter canais abertos no Brasil, sejam eles em UHF (14 à 69) ou VHF (2 à 13). O Grupo Abril é dona de 80% da MTV (antiga TV Abril) e a Viacom apenas 20%, limite de ações que uma empresa internacional pode ter num canal brasileiro. A Band perguntou se quem manda é o Grupo Abril ou a sua parceira americana. A Band também pôs em dúvida o contrato da TVA com a Telefônica e da própria Editora Abril com uma editora africana, mas isso não vem ao caso.

O diretor da MTV, o Sr. Zico Goés, disse que parece que não estamos lutando contra a censura, mas sim, “fazendo birra”, como adolescentes que reclamam após ter perdido seu brinquedo (no caso, o YouTube). Pois veja, se é essa a visão que o diretor da MTV tem de seu público-alvo, e assume publicamente através deste e-mail, imagine o que ele não deve falar nas reuniões “da cúpula”! Vai ver por isso que a programação da MTV está longe, muito longe, de ser uma das melhores.

Concordo, em parte, com o Sr. Goés, os jovens têm que se unir em prol de assuntos como a corrupção, a violência e os desmandos dos governantes, porém, o que esse “respeitável executivo que uma ótima emissora que presta excelentes serviços a população brasileira” está fazendo é o clássico “tirar o meu da reta”, no caso, “tirar a minha emissora da reta” Completando o que foi dito por uma amiga, Fabiana (vulgo Fazinha) ao enviar um e-mail para o Sr. Goés: Incentivam-nos a lutar por nossos direitos, porém, quando essa luta chega à eles, agem como incompreendidos, dizendo “meu Deus, mas você está descarregando na pessoa errada. Ao invés de descarregar na MTV porque a Cicarelli lhe tirou um direito, ou melhor, um brinquedo, porque não descarrega no deputado mais próximo? Vocês estão agindo errado, censurando quem lhe censurou”. Eles inventaram o tal “grito juvenil”, agora a criatura perdeu o controle e atacou o criador e usam da mesma tática dos velhos políticos, popularmente chamados de “macacos velhos da política”: desmoralizar quem ameaça desmoralizá-lo.

É isso que representamos para a MTV: jovens cabeças-ocas, que são manipuláveis por qualquer VJ que apareça na tela falando qualquer asneira, tudo por alguns pontinhos a mais no RealTime do Ibope.

PS: Afinal, o que mais poderíamos esperar? A MTV é do Grupo Abril, que é dona da Veja, aquela revista de credibilidade e total independência editorial.