A Globo já não é tão poderosa assim…

Em menos de uma semana, a Globo sofreu duas derrotas: O sinal verde dado pela Anatel para que a Telefônica possa operar em DTH e a o anúncio que a Olimpíadas de Londres ficará com a Record. Isso é uma prova que a Globo não é tão poderosa assim.

Sua influência no governo não foi tão grande para impedir que a Anatel desse a licença pra Telefônica. Isso atinge diretamente a Sky, praticamente monopolista no mercado (a única concorrente é a infame Tecsat). A Telefônica, que tem cacife suficiente para oferecer um serviço barato, já conquistou 55 mil assinantes operando com a licença da DTHi só em São Paulo. Agora ela pode trabalhar em todo o Brasil, o maior temor da Sky, que tem feito a maioria dos assinantes da ex-Directv ficar insatisfeito com o serviço.

A segunda perda da Globo foi na própria televisão: além de perder pontos de Paraíso Tropical para Bicho do Mato, as Olimpíadas de 2012, em Londres, agora pertence à Rede Record, sua mais nova arque-rival. 30 milhões (e não 60) foi a quantia que a Record pagou pelo evento. A primeira perda da Globo de um grande evento. Isso mostra que a Record tem fôlego e dinheiro para brigar.

Outra perda da Globo foi a quebra de exclusividade dos canais Globosat, imposta pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Agora qualquer operadora que queira ter os canais Globosat poderão ter nas mesmas regras que vai para a Net e a Sky, pelo menos na teoria.

Hoje Globo perdeu um ministério. O Ministério das Comunicações, que era de Hélio Costa, repórter aposentado da Globo, deve ser agora de Frankilin Martins, ex-Globo e atual Bandeirantes. Não se configura uma perda total, já que a Band é a mais nova “amiguinha” da Globo por causa do futebol. Aliás, o mundo dá voltas, não? Durante a fusão Sky/Directv a Band era uma crítica ferrenha, afinal seus canais BandNews e BandSports estavam ameaçados. Agora os canais estão lá, a Globo foi boazinha e deu o futebol pra Band…

Pra quem mandava intensamente no país, agora está cada vez mais perdendo espaço. Será a dita maldição que assola as TVs do Brasil? Reza a lenda que quando o dono de uma emissora falece, a emissora vai perdendo seu poder. Foi assim com a Tupi, com a Manchete e está sendo com a Globo (e com certeza será com o SBT). Pelo visto não fizeram igual ao SBT, esqueceram de “clonar” o Dr. Roberto Marinho.

Se por um lado é bom que a Globo perca o poder, o próximo império que vem aí é a Record/Universal. Dá medo, não?

Pastor mal-informado critica Record sobre Papanicolau

Um fato curioso pairou na redação da Rede Record no bairro da Barra Funda, em São Paulo. Um pastor da Universal teria criticado duramente a Rede Record por ter exibido uma matéria sobre o exame Papanicolau. O pastor pensou que “Papanicolau” era o nome de algum líder da Igreja Católica quando, na verdade, é um exame preventivo do Câncer do colo do útero. Falar sobre um tema católico é proibido na Record.

O pastor já teria se envolvido em outra gafe: Pensou que “bruxismo infantil” era alguma coisa ligada a feitiçaria. Bruxismo infantil é o hábito de ranger os dentes enquanto dorme.

E essa pessoa é um líder religioso…