Bebê anencéfala será ícone em ato contra o aborto

CLÁUDIA COLLUCCI
da Folha de S.Paulo

A bebê anencéfala Marcela de Jesus Galante Ferreira, que completou quatro meses anteontem, virou motivo de preocupação do movimento pela descriminalização do aborto e, ao mesmo tempo, ícone dos grupos em defesa da vida.

A sua sobrevida, incomum aos anencéfalos, será usada como exemplo antiaborto em um ato público, que acontece sábado, a partir das 10h30, na praça da Sé, centro de São Paulo. Entre os nomes confirmados estão os do padre Marcelo Rossi, do ex-arcebispo de São Paulo, dom Cláudio Hummes, e do advogado Ives Gandra Martins.

O ato, organizado por grupos católicos, espíritas e evangélicos, pretende reunir 15 mil pessoas e quer chamar a atenção do Congresso Nacional, onde tramita um projeto de lei que descriminaliza o aborto.

“Queremos que os deputados que compõem a nova comissão de seguridade social e família pensem duas vezes como vão votar esse projeto e prestem atenção no retrato da vontade popular”, diz a advogada Nadir Pazin, coordenadora adjunta do Comitê Estadual em Defesa da Vida, um dos organizadores do evento.

Para Pazin, o caso de Marcela é emblemático para o movimento antiaborto porque ele contrariou todas as expectativas médicas de que ela morreria logo após nascer. “Caiu por terra a tese dos grupos feministas e de quem defende a legalização do aborto. Ela mostrou que não é como a ciência quer, mas sim como Deus quer.”

Médicos, profissionais que dirigem serviços de aborto legal e militantes pela descriminalização do aborto pensam diferente. Para eles, o caso de Marcela é uma exceção e não pode comprometer o direito de os pais poderem optar pelo aborto de fetos anencéfalos.

Porém, é evidente entre eles a preocupação de que a sobrevivência da menina “atrapalhe” futuras decisões judiciais sobre a interrupção da gravidez de anencéfalos. Hoje, o aborto pode ser feito mediante autorização judicial. O STF (Supremo Tribunal Federal) deve decidir no mérito se as mães de fetos com anencefalia podem ou não fazer o aborto, mas não há data para essa decisão.

“Tememos que esse caso isolado e raro possa mudar a opinião do STF e que tudo que conseguimos conquistar até agora possa ficar embaçado por esse caso”, relata o ginecologista Jorge Andalaft Neto, responsável pelo serviço de aborto legal do Hospital Jabaquara.

A mesma preocupação é manifestada por Anaelise Abrão, coordenadora do departamento de medicina fetal da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). “Temo porque há muitos juízes que julgam um fato que não é da área deles. Com a opinião pública mobilizada em torno do caso [da bebê Marcela], eles ficam mais receosos em conceder as autorizações.”

Na avaliação da médica Fátima Oliveira, da Rede Feminista de Saúde, é possível que a conquista pelo direito ao aborto de anencéfalos “dê mais trabalho” a partir do caso de Marcela.

Já a advogada Débora Diniz prefere apostar na razoabilidade sistema jurídico brasileiro, que não usaria uma “história apaixonada” para apoiar uma decisão tão importante.

“A Marcela é uma exceção. Sobrevive por uma aposta de intensa medicalização para transformá-la em heroína. Se tivesse tido alta do hospital, provavelmente já estaria morta”, opina Diniz.

A bebê usa capacete de oxigênio e ingere leite por sonda. Em dezembro, sofreu uma parada cardíaca e foi reanimada. Já teve também paradas respiratórias, convulsões e febres.

O ministro Marco Aurélio Mello, relator da matéria no STF, disse à Folha que não conhece o caso de Marcela e que o episódio não deve mudar futuras decisões do Supremo.

—————————————————

Vou fazer coro com a Roberta: nem todos os bebês anencéfalos sobrevivem como a Marcela. Por um milagre ela já viva à 4 meses. Agora, veja o sofrimento: você cria faz um filho e descobre que ele morrerá assim que nascer. Criar no seu ventre uma criança que não viverá?

Imagine também, uma mãe não tem condições de criar um filho e por causa do aborto ser ilegal tem o filho e cria com precárias condições. Muita injustiça com a criança que não pediu pra nascer.

Anúncios

24 comentários sobre “Bebê anencéfala será ícone em ato contra o aborto

  1. Agradeço a Deus pela pequena vida de Marcela , sofrida ou não ela nasceu como todos nós e tem o direito de lutar pela vida ,todos nós sofremos e se fosse pra isso não acontecer ela já estaria morta e Deus quiz assim,não critico ninguém ,mas se marcela não sentisse e não estivesse vivendo ela não choraria não sorria ,enfim não demonstraria nenhuma expressão, não se movimentaria ,e o que vemos é que ela está vivendo e tem quem a ama e a deseja , é um ser humano que nasce e um dia morre ,está tendo a oportunidade de viver ,muitas pessoas nascem sadias e depois sem que desejassemos sofre um acidente ou coisa parecida e vive em estado vegetativo e ainda assim em o direito de viver e pode ser feliz,principalmente se tiver pessoas que a ame,não sei como dizer qual é a vida certa para dizer se a pessoa deve ou não viver aquela vida,que JESUS abençoe a todos e que se faça a vontade dele pois não sabemos quem deve viver ou não,vejamos que nascem crianças saudáveis e lindas são amadas e depois crescem viram marginais ,matam ,roubam nossos pais,cometem horrores,são cruéis e impiedosos,acho que se formos analizar não sabemos o melhor para ninguém pois se soubéssemos não existiria os criminosos?

  2. por quanto tempo mais o fanatismo religioso vai obstruir o bom senso? como alguem pode chamar a condição de marcela de vida? uma criança que não tem e nem nunca terá autonomia; nunca aproveitará nada de bom que a vida tem a oferecer e estará até a morte condenada a viver como um vegetal. eu, no lugar dela, preferiria morrer.
    mas não, parece que as pessoas ficam felizes com o sofrimento alheio.quantos deuses mais a homens tarão que inventar para se isentar de decisões dificeis.
    estou certo de que com o tempo, a humanidade se renderá a razão e aceitará que a legalização do aborto é necessária.

  3. é facil falar para quem nâo esta vivendo a aquele instante eu que estou fora diria que é melhor abortar porque vida tem que ser bem vivida senao nao é vida mas ai nao sei minha opiniao se fosse o minha escolhe entre abortar ou nao,ai nao sei o que meu coracâo de mamâe diria,talvez imaginaria que estaria rejitando porque nâo estava tâo perfeito quanto eu queria ou que seria melhor para todos inclusive para ele nâo esta ali apenas por um instante.nâo sei dizer qual escolhe a mais sensata com o coracâo uma com a logica outra…………………..

  4. Eu também ja tive um bebe anencefalo e ele viveu 3anos e4 meses e foi a maio alegria que tive em minha vida, ele teve bastante problemas de saude mas lutou bravamente enquanto Deus permitiu. Acredito que Deus não deu poder a ninguem para decidir quem vive e quem morre….Vou abrir uma pesquisa sobre anencefala para provar que a decisão sobre o aborto desses bebes é totalmente errada.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s