Reprovação volta e destino da 946 fica com César Maia

Depois da vergonhosa atitude da secretária de educação, Sônia Mograbi, de instituir a aprovação automática no sistema municipal de ensino do Rio de Janeiro – a polêmica Resolução 946 -, na noite de segunda última (04/06), a mesma publicou uma nova resolução que acabava com a aprovação automática, dando à nota “R” de reprovar ou não, dependendo do professor. Nesta resolução, é dito que as avaliações serão feitas por meios de provas, testes, pesquisas e trabalhos individuais e em grupo. Apesar dessa nova resolução acabar com um dos maiores motivos de protestos, pontos como o Conceito Global continuam existindo na rede.

Hoje pela manhã, um novo protesto aconteceu em frente a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, a Alerj. Depois de um longo período de espera, no final da tarde houve córum suficiente para que a votação ocorresse a votação. Na frente dos professores, responsáveis e alunos que estavam protestando, eles manteram a resolução 946. Depois de vaias, eles voltaram atrás e votaram conta a 946. O último passo agora para que a 946 caia de vez é a assinatura do prefeito César Maia.

Tudo volta a ser como era antes, no quartel de Abrantes. Isto é uma prova que protestar adianta e que não se deve ficar de braços cruzados quando se vê uma coisa errada acontecer. Isto é uma prova que não se deve existir conformismo, que não podemos achar que não dá pra mudar. Devemos sim ir para as ruas, devemos sim lutar pelos princípios e pelo certo. Devemos sim denunciar e acabar com que é errado. O povo brasileiro deve reconhecer sua força, porque o povo é forte e um povo muda totalmente sua nação, sua história. As maiores revoluções da história mundial aconteceram pela mobilização do povo. Falta pouco para que a 946 caia, só a assinatura do César Maia. Se conseguirmos que a 946 caia, será uma vitória nossa, uma vitória do povo que se uniu e lutou! Se a 946 não cair, continuaremos lutando, porque chegou a hora de mostrar para essa bando de sem vergonhas que estão no congresso, na câmara de vereadores, nas prefeituras, que o povo tem valor e não somos marionetes e nem otários!