RR, a mais nova invenção da Mograbi

“La Resolución”, esse deve ser o nome dado ao dramalhão que os alunos e professores da Rede Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro. Ontem, dia 19/09, a Secretária de Educação Sra. Sônia Mograbi escreveu uma nova resolução, a Resolução 959, que cria um novo conceito: o “RR”, que siginifica “Registra Recomendação”. Afinal, o que é esse “RR”? Na teoria, o “RR” se aplicaria aos alunos que ainda tivessem dificuldade. Com o RR, o aluno não será reprovado, mas sim aprovado automaticamente, cabendo ao professor do período seguinte tentar um outro método de ensino. No final de cada ciclo, o CoC (Conselho de Classe), realizado pelos próprios professores da escola, decidiria se o aluno com RR poderá passar para o próximo ciclo. Algumas questões não estão bem exclarecidas, como, por exemplo, se um aluno da antiga 8ª série (Período Final do 3º Ciclo) poderá ser reprovado.

Na verdade, o RR não passa de uma Aprovação Automática mal mascarada. Continua-se passando de período automaticamente. E com dois seríssimos agravantes: Essa resolução é feita em setembro, faltando apenas 3 meses para o fim do ano letivo. E essa novela está bem longe de acabar.

Vejamos, em breve, novos capítulos de “La Resolución”. Uma novela mais dramática e mais demorada do que qualquer outra. E o que é pior, nessa novela, diferente das outras, os “vilões” saem sempre ganhando, até no final.

Palestra reunirá especialistas para discutir crimes na Internet

Evento imperd�vel!

Fraudes, espionagem industrial, pedofilia, roubo de identidade e discriminação são alguns dos 600 tipos de infrações virtuais definidas pela Legislação brasileira. A palestra “Crimes Virtuais”, que acontece no auditório da Universidade Cidade de S. Paulo (Unicid), na segunda-feira, dia 17 de setembro, terá como convidados o delegado assistente, José Mariano de Araújo Filho, da 4º D.I.G. – Delegacia de Crimes Praticados por Meios Eletrônicos – DEIC (Departamento Estadual de Investigação sobre o Crime Organizado) e Fernando Vieira colaborador da Revista PC & Cia – publicação especializada no setor de informática.

Segundo a empresa britânica de segurança Sophos, os hackers brasileiros foram responsáveis por 14,2% de todos os vírus produzidos no mundo, no ano de 2006. Com exemplos como esse, o delegado Araújo Filho pretende ilustrar o crescente número de crimes na Internet durante o evento.

“Dentro de uma estimativa de mil inquéritos que temos em andamento, 60% são de crimes contra a honra; 15% são casos de furto mediante fraude (que são casos de roubos em contas bancárias); 8% são de estelionato (como financiamentos e operações de compra e venda frios), e 3% correspondem a casos de pedofilia e pornografia infantil”, explica o delegado.

Para enriquecer a discussão, o colaborador da PC & Cia, que desenvolve aplicação de testes e organiza redes corporativas internas, Fernando Vieira, dará instruções preventivas aos usuários da Web. “Os avanços tecnológicos têm propiciado, cada vez mais, o aumento de crimes na Internet. É importante que os usuários tenham consciência que a prevenção é o melhor remédio, pois eles podem ser as próximas vítimas”, diz.

O evento conta com a participação dos alunos dos Cursos de Direito e Ciência da Computação. Essa é uma iniciativa da Agência Universitária de Notícias (AUN) do Curso de Comunicação Social, que também fará a cobertura jornalística do debate. Serão fornecidos press-kits para a imprensa.

SERVIÇO:

Palestra: Crimes Virtuais
Palestrantes: Delegado assistente da 4º D.I.G. – Delegacia de Crimes Praticados por Meios Eletrônicos – DEIC (Departamento Estadual de Investigação sobre o Crime Organizado), José Mariano de Araújo Filho
Colaborador da Revista PC & Cia, Fernando de Souza Vieira
Data: Segunda-feira, 17 de setembro de 2007
Horário: 19h30
Local: Auditório da Universidade Cidade de S. Paulo – Rua Cesário Galeno, 488
Informações: Agência Universitária de Notícias (AUN) – Fone: (11) 2178-1388

Renan, manda uma de calabresa!!

Votação secreta, sessão secreta. O resultado só podia ser um: pizza. E que bela pizza! 40 votaram a favor de Renan. Aliás, o número “40” deve ser o número dos ladrões: 40 acusados no Mensalão e “Ali Babá e os 40 ladrões”. Quem são esses 40? Ninguém sabe. Só se sabe uma coisa: dois podem ser da oposição.

Com esse resultado, é decretada de vez o fim da confiança que a Opinião Pública tinha com o Congresso Nacional, se é que ela ainda existia. Se o povo já achava que o Congresso é um antro de ratos corruptos, agora tem certeza absoluta.

Até quando o povo brasileiro receberá rótulo de otário na testa? Até quando a corrupção estará livre no Congresso? Até quando desculpas esfarrapadas irão nos taxar de bobos, ingênuos, otários, idiotas e burros? Mais respeito com o povo brasileiro!

Pancadaria marca início da Sessão Secreta no Senado

Socos e pontapés marcaram o início da Sessão Secreta que decide o destino do senador e presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL). O deputado Raul Jungmann (PPS/PE) trocou socos com seguranças do Senado porque ele não teria permetido sua entrada na sessão, permitida por uma liminar no STF. Segundo o deputado, a deputada Luciana Genro (PSOL/RS) ficou com a perna sangrando por um pontapé ou pelos choques de um dos taisers dos seguranças

“Isso não vai ficar assim, nunca na história isso aconteceu”, disse Jungmann.

Os seguranças do Senado Federal se defenderam alegando que não receberam o comunicado da Mesa Diretora autorizando a entrada dos 14 deputados.

O senador Papaléo Paes (PSDB/AP) apoiou a iniciativa dos seguranças. O senador afirmou que os deputados queriam “aparecer” e ainda disse que, se os seguranças agiram com truculência, tiveram a determinação da presidência do Senado. “Eles querem aparecer. Então que vão fazer bagunça lá na Casa deles. Só porque tem um botton [broche] acham que podem chegar aqui e dando sopapos. O pau sempre quebra do lado mais fraco. Eu não aceito punir os seguranças”, afirmou o parlamentar.

Durante a sessão aberta, o senador Tião Vianna (PT/AC), vice-presidente do Senado, lamentou o episódio. “O que houve foi um momento de mal entendido. Houve um momento de tensão entre as partes. Foi um momento infeliz de passagem de tensão que nós vivemos porque sei que os deputados são invioláveis”

O senador José Agripino (RN), líder do Democratas, aproveitou o episódio para fazer uma observação: “Se a sessão fosse aberta, nada disso teria acontecido”.

O julgamento de Renan Calheiros deve durar cerca de 4 horas e 30 minutos. Todos os 81 senadores estão presentes na casa e para que Renan seja cassado, é necessário 41 votos a favor da aprovação do relatório contra Renan, apresentado pelo PSOL.

Análise: Câmera Café, o humor de intervalo

 No último dia 3 de setembro, estreou no SBT o humorístico “Câmera Café”. Sem nenhuma propaganda, o humorísitico estreou de surpresa, e marcou 4 pontos. Porém, desde a estréia do programa, a audiência só subiu e ontem a primeira edição do programa ficou com 6 pontos, dobrando a audiência do SBT Brasil. O sucesso foi tanto que, de surpresa, uma terceira edição do programa foi ao ar, antes do Jornal do SBT.O programa Câmera Café tem apenas 5 minutos de duração e é a versão brasileira do programa espanhol de mesmo título. A vinheta e o cenários são os mesmos do original, produzido pela Tele5. O elenco é formado em sua grande parte por atores de teatro, continuando com a tradição do SBT de abrir espaço para novos atores. Um humor leve, sem apelações, provávelmente para aliviar as notícias fortes do telejornal.

No elenco, há várias boas surpresas, como a atriz Marta Volpiani, dubladora da Dona Florinda. Marta estava afastada da TV. Ela atuou em “O Profeta” (versão original), “Cavalo Amarelo”, “Por Amor e Ódio” e “Meus Filhos, Minha Vida”. No elenco também está ator e diretor Ariel Moshe, que interpretou o vilão Horácio em “Chiquititas”, o Seu Flores de “Éramos Seis” e o Braz de “Essas Mulheres” e é um dos melhores atores de comédias do teatro brasileiro.

Carnê-Dízimo da Universal

Anualmente, a Igreja Universal do Reino de Deus faz uma “Vigília da Paz”, na Enseada de Botafogo, cidade do Rio, no dia 7 de setembro. Nesse ano, foi anunciado um novo sistema para arrecadar fundos para a igreja: o “Carnê-Dízimo”. O Carnê-Dízimo consiste em uma distribuição de boletos bancários, para que os fiéis depositem as doações diretamente na conta da IURD.

“Você deve fazer o depósito mensalmente e entregar o boleto na igreja. E vamos todos orar por você. Onde quer que você esteja, em qualquer lugar do mundo, seu pedido será atendido”, disse bispo Edir Macedo, líder Universal. “Com o boleto, você pode doar R$ 30, R$ 50, R$ 100. Você nem imagina o quanto vai ajudar os outros. E pode ter certeza que o Pai vai estar te olhando”, concluiu em seguida o bispo Renato Maduro, apresentador do programa “Fala Que Eu Te Escuto”, na Record Rio.

No evento, que contava com 700 mil presentes, segundo a Polícia Militar – os organizadores esperavam 2 milhões -, foram distribuídos dois tipos de boletos. O de uma única folha, para apenas uma doação e outro de 12 folhas, para pagamentos mensais. Como se trata de doações, nos boletos não estavam impressos o valor a ser pago e nem a data de vencimento.

Pizza Renan, no forno, pronta pra sair

Tem uma pizza quase pronta no Senado Federal. Ela tá no forno, quase saindo. É a pizza Renan, que está sendo assada no escurinho do Senado, escondidinha de tudo e de todos. Nem a sessão será aberta. Ninguém vai ver quem defendeu ou acusou Renan Calheiros, o que aconteceu, se houve falcatrua ou coisa parecida. Vamos esperar para ver se essa pizza vai sair ou vai queimar. Porém, o resultado já é de se esperar…