Walcyr Carrasco é novamente acusado de plágio

O autor da novela “Sete Pecados”, da Rede Globo, Walcyr Carrasco, está sendo acusado por fãs da novela “Amigas e Rivais”, do SBT, de plágio. O motivo da acusação foi o uso do bordão “Modéstia a parte, eu sou perigosa” e variantes, que é da vilã Rosana Delaor, de “Amigas e Rivais”, pela vilã Ágatha, de “Sete Pecados”. Além disso, a novela de Carrasco terá uma personagem com AIDS, tema já usado em “Amigas e Rivais”. Na novela do SBT, a protagonista Olívia Villar descobre que tem AIDS no terceiro capítulo.

Letícia Dornelles, escritora de Amigas e Rivais, afirmou que as duas tramas tem “bordões e situações muito parecidas”, que chegam “a incomodar”. Carrasco respondeu que não assiste a “Amigas e Rivais” e não tem “a menor idéia do que acontece na novela”. Segundo Carrasco, “ninguém é acusado de plágio por usar palavras do vocabulário moderno” e completou dizendo que quem deve ser acusada de plágio era Letícia, já que a 14 anos Carrasco escreveu um livro que tratava de AIDS na infância.

Procurada pelo Blog Internacional, Letícia disse que não está “em crise, nem surtada” e que seus atores “não reclamam do texto ou da trama”. Letícia lamentou a falta de criatividade de Carrasco: “apenas me entristece a falta de criatividade de quem se acha genial”. A respeito do livro, Letícia disse que “a 14 anos não sabia da existência dele”, nunca teve “curiosidade de ler as ‘obras’ dele” e completou dizendo que é “muito exigente na hora de escolher o que ler”.

O passado de Walcyr Carrasco não é dos melhores. Em 1997, Walcyr era contratado pelo SBT e escrevia a novela “Fascinação”. Nesse período, Walcyr escreveu para a Rede Manchete, principal concorrente do SBT na época, a novela “Xica da Silva”, com o pseudônimo de Adamo Angel. A novela “Alma Gêmea”, escrita por Walcyr, está sendo acusado de plágio pelo escritor Carlos de Andrade. Segundo Andrade, “Alma Gêmea” é plágio do seu livro, “Chuva de Novembro”, lançado em 1997. Nesse caso, Carrasco também negou conhecer a obra. “Não conheço o autor nem o livro”, disse Carrasco. Apesar de Carrasco dizer não conhecer a obra, as semelhanças são bastantes:

‘Chuva de Novembro’ conta a história do músico Caio (equivalente a Rafael/Eduardo Moscovis em ‘Alma Gêmea’), que se apaixona por Caressa (Luna/Liliana Castro) e dá a ela uma ‘rosa única’, amarela (branca na novela), despertando a raiva de sua prima Regina (Cristina/Flávia Alessandra). Regina elabora um plano e atrai Gaviola (Guto/Alexandre Barilari) para executá-lo. Mas o plano dá errado e Caressa morre. Assim como na novela, o mocinho adota uma vida reclusa, admirando um retrato da amada, e a alma da mocinha reencarna imediatamente.

A sinopse de “Amigas e Rivais” foi feita em 2001 por Emílio Larossa e escrita por Alejandro Pholenz. A versão mexicana foi exibida em 2002 pelo SBT e a versão brasileira da novela foi ao ar em agosto de 2007, após um adiamento por conta dos Jogos Pan-Americanos. A intenção era estrear a novela em junho.

Para burlar Televisa, SBT se divide em dois

Semana passada foi anunciada a divisão do SBT em dois: o SBT Geradora e o SBT Produtora e a extinção do Conselho do SBT, que, na verdade, nunca tinha mostrado sua função, já que tudo era decidido pelo Silvio Santos.

Uma dos maiores motivos da divisão da emissora é o contrato com a Televisa. O SBT tem medo de perder as novelas e elas derem mais audiência em uma emissora concorrente. Na teoria, Chaves, Chapolin, Clube do Chaves e Chaves em Desenho Animado são negociados em um contrato a parte, já que também é necessária a autorização de Roberto Gomez Bolaños, o Chespirito. Mas, na prática, um contrato influencia o outro. O atual contrato com a Televisa proibide que o SBT produza novelas nacionais, somente adaptações de novelas da Televisa. Na divisão, o contrato seria herdado pelo SBT Geradora, deixando o SBT Produtora livre da obrigação.

O SBT usou essa mesma estratégia a cerca de 15 anos atrás, quando a sede era no bairro da Vila Guilherme, em São Paulo. Foram construídas duas portarias, porém como o prédio era pequeno, as funções se misturavam e na prática as duas emissoras eram uma só. No final da década de 90, Silvio Santos tentou novamente dividir o SBT em dois, dessa vez na Anhangüera, onde não haveria essa mistura. Acabou que os departamentos foram dividos em “lojinhas”, o que encareceu a produção e afundou ainda mais o SBT na crise de 98.

Segundo informações, para assegurar essa separação, o SBT Geradora terá sua sede no bairro do Sumaré, em São Paulo. A separação deve ser oficializada em poucas semanas.//