24 anos de Chaves no Brasil

“Lá vem o Chaves, Chaves, Chaves, todos atentos, olhando pela TV”. Quem nunca viu Chaves? Há duas gerações, Chaves está a 24 anos consecutivos no ar pelo SBT. Exibido pela primeira vez no dia 25 de agosto de 1984, dentro do programa do “Bozo”, o menino Chaves entrava nas telinhas brasileiras, “caçando lagartixas”, para nunca mais sair.

Chaves chegou ao Brasil atráves da genialidade de Silvio Santos. Apresentado por ele aos executivos da TVS (hoje SBT), todos votaram contra a exibição do seriado mexicano. Mas mesmo assim, Silvio mandou dublar alguns episódios nos Estúdios Maga, de Marcelo Gastaldi. Contra a vontade dos executivos da TVS – alguns de renome, como Luciano Gallegari e Leandro Stoliar -, Chaves foi exibido. Não demorou muito para Chaves virar um sucesso.

Enrredo simples, cenário pobre, qualidade de som sofrível, embora a tradução seja ótima. Apesar da voz aguda feita por Marcelo Gastaldi nos primeiros episódios, não tem como se esquecer da clássica piada “Não se diz cagueta, se diz chupeta”:


Clássica piada do primeiro episódio exibido no Brasil

O Bozo era pequeno demais para o pobre menino mexicano, e em 1987, Chaves passou a ser exibido em horário nobre, às 8 da noite, nas terças e sábados. Com apenas 80 episódios, em 1988 o SBT compra o segundo lote, com 40 episódios. Nessa época começou um sucesso que foi decisivo para a fase da emissora, que passava por uma crise econômica. Chaves praticamente salvou o SBT da falência.


Primeira abertura de Chaves no Brasil

Em 1990, mais um lote chega ao SBT. Em 1992, outro lote. Enquanto a felicidade de novos episódios ronda os corações dos fãs de Chaves, os lotes de 1984 e 1988 saem do ar. Em 1993, entra ao ar a nova abertura, exibida até hoje.


Abertura atual de Chaves com a clássica música “Lá vem o Chaves”

Em 1999, Chaves volta a desbancar a Rede Globo. O poderoso “Mais Você”, com a recém contratada Ana Maria Braga, é derrotado quase que diáriamente pelo seriado mexicano, o que obrigou o programa a sair das tardes para as manhãs da emissora carioca.

Em 14 de setembro de 2002, Chaves volta ao horário nobre de sábado com o título de “Chaves Especial”. De especial, só o horário. Mesmo com exibições cortadas e episódios reprisados, “Chaves Especial” consegue marcar 16 pontos de média e 18 de pico.


Chamada “Chaves Especial”. De especial, só o horário e o Ibope.

Chaves é um programa para se analisar minuciosamente. Como um programa tão simples pode fazer sucesso a tanto tempo, considerado por muitos como indispensável na televisão? Como Chaves consegue atravessar tantas gerações, ser tão reprisado, mas continua a arrancar as mesmas risadas?

Quem nunca viu Chaves? Quem nunca ficou com pena do Chaves atrás do seu sanduíche de presunto? Quem nunca riu com as bofetadas que a Dona Florinda dá no Seu Madruga? Quem nunca quis ajudar o Seu Madruga a pagar o aluguel? Quem nunca teve medo da Bruxa do 71, digo, da Dona Clotilde? Quem nunca riu dos apelidos do Mestre Lingüi, digo, do Professor Girafales? Roberto Gómes Bolaños, “grande” Chespirito, que nos proporciona até hoje, muitos anos depois de ter feito o Chaves, grandes risadas e momentos de alegrias com Chaves, Chapolin, Dr. Chapatin, entre outros inúmeros personagens.


Seu Madruga Professor


“Mamãe Querida, meu coração por ti bate…”


“O Cão Arrependido”


Que Bonita a Sua Roupa


Se Você é Jovem Ainda


“O gato ou o Quico?”


“Doeu, mas não foi tanto assim…”

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s