AF 447: Já foram resgatados 17 corpos na região do acidente

‘A operação durará o tempo que for necessário’, diz tenente-coronel.

Com informações da BBC Brasil e Agência Reuters

Polícia Federal chega a Fernando de Noronha (BBC Brasil)

Polícia Federal chega a Fernando de Noronha (BBC Brasil)

As equipes de buscas localizaram 17 corpos na região do acidente do Voo 447 da Air France, que teria caído na semana passada. Ontem e hoje foram localizados 9 corpos: 5 ontem e 4 hoje. Destes nove corpos, são 4 homens, 4 mulheres e um não identificado, e já estão na Fragata Constituição a caminho de Fernando de Noronha.

Os corpos foram encontrados na mesma região onde já tinham sido resgatados os primeiros corpos e os destroços diretamente ligados ao acidente. Essa região fica a cerca de 824 km de Fernando de Noronha.

“A operação durará o tempo que for necessário, para que a gente faça inicialmente o resgate de todos os corpos e posteriormente o resgate do maior número possível de destroços”, disse a jornalistas o tenente-coronel Henry Munhoz, da assessoria de imprensa da FAB.

O voo levava 228 passageiros, sendo 126 homens, 86 mulheres, 7 crianças e 1 bebê. Os trabalhos de resgate envolvem seis navios (cinco brasileiros e uma fragata francesa) e 14 aviões (12 da Força Aérea Brasileira e 2 da França).

TELEVISÃO: O que há de errado com ‘A Fazenda’?

Porque o reality da Record não dá certo e não cai no gosto do público

A Fazenda ainda não agradou o público

A Fazenda ainda não agradou o público

Hoje o reality-show da Record, “A Fazenda”, completa uma semana no ar. Em apenas uma semana, já aconteceram diversos romances, brigas, panelinhas e outras características que atraem o público.

Mas, com tanta atração chamativa, porque “A Fazenda” não sai da casa dos 10 pontos?

A Record tem um seríssimo problema: querer vencer tudo no grito. Televisão não é no grito, televisão é no conteúdo. Além disso, falta identidade à Record. Tudo na Record é uma simples cópia daquilo que já cansamos de ver nas outras emissoras.

A estrutura da Fazenda também não é das melhores: poucas câmeras, iluminação fraca, “famosos quem?” e ausência de um canal 24 horas, e, porque não, uma trilha sonora péssima e apresentação horrível. E ainda, o número de brigas e romances em menos de uma semana e ausência de um canal 24 horas, abre espaço para suspeitas de uma possível armação.

As alterações do horário também complicam: a cada dia, a atração é exibida em um horário diferente, o que faz que o telespectador tenha que correr atrás da atração.

A Record precisa aprender que televisão se faz com estratégia e qualidade, e não no ego e no grito. Não adianta impor na mídia que está “a caminho da liderança” ou que é “uma TV de primeira”, precisa fazer por onde. Em 2004, a Record tinha um plano de liderança muito bem estruturado, onde a qualidade estava na frente de tudo. O plano se perdeu por volta de 2007, onde programas como “Balanço Geral” e produções como “Os Mutantes” foram dominando a emissora. A Record se perdeu na utopia da liderança a curto prazo. Não é assim. Nunca foi assim. A Globo levou 20 anos pra chegar à liderança. Não é na base da cópia, da arrogância, do ego e da gritaria que se chega lá, e sim com qualidade, e é o que tem faltado na emissora.