O Governo não liga para as drogas

Apesar de ter secretaria de prevenção ao uso de drogas, o Governo Federal não tem nenhum programa público para tal

Por Luan Borges
Ponto Notícia

Na última semana, acompanhamos o caso do humorista Marcos da Silva Herédia, conhecido como Zina, do programa “Pânico na TV!”, que foi detido portando uma cápsula de cocaína num carro. O caso, que foi comentado em toda a imprensa, fez com que o programa deixasse de lado um pouco o humor e falasse sério sobre esse grave problema que é o uso de drogas.

O programa entrevistou Izilda Alves, coordenadora do programa “Jovem Pan pela vida contra as drogas”, que revelou que o Governo Federal repassa apenas R$ 60 mil por ano, R$ 5 mil por mês, ao Estado de São Paulo para a prevenção do uso de drogas e tratamento de dependentes químicos. Izilda também revelou que 25% da população brasileira é dependente químico.

A equipe do Ponto Notícia consultou o Senador Álvaro Dias (PSDB/PR) se havia algum projeto no Congresso para uma campanha anti-drogas mais efetivas nas escolas, e a resposta que recebemos foi que “não há nenhum programa de governo instituído e o repasse de recursos para essa finalidade é pífio”, afirma Dias.

O trabalho da SENAD – Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas -, órgão que tem status de ministério se mostra ineficaz quando o assunto é realmente as políticas anti-drogas. O secretário Paulo Roberto Yog de Miranda Uchoa, que também é general-de-divisão do Exército Brasileiro, tenta implementar, sem sucesso, uma Política Nacional Antidrogas. Não há campanha de prevenção nas escolas públicas, salvo secretarias municipais para o assunto.

A deficiência do sistema público de ensino e de saúde brasileiros ajudam a agravar o problema das drogas. Em algumas comunidades carentes de São Paulo, não há uma ação social para a prevenção das drogas há mais de 20 anos. Em áreas de riscos do Rio de Janeiro, a situação se agrava: os traficantes assumem o papel do Estado, ausente nessas localidades, e conquistam o apoio da população local.

A chave mestre para a prevenção do uso de drogas é, sem dúvidas, da educação. Professores, alunos e diretores podem começar uma campanha anti-drogas em seu colégio. O uso de drogas é um problema que a população e o governo não podem fingir que não existe, pois atinge todas as classes sociais, sem distinção de raça, religião e orientação sexual.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s