Por trás da Rede Brasil de Televisão

Emissora de TV em UHF esconde ligação com pirataria e igreja evangélica

Por Luan Borges

A Rede Brasil de Televisão (RBTV), rede em UHF brasileira, foi fundada em 2007, mas sua história começa em 2000, quando começaram a lutar pelas suas concessões.

Até esse ponto, nada de errado há na história da emissora. Porém, a emissora que, em sua fundação, falou sobre “responsabilidade social”, “pluralidade”, “regionalização” e “transparência“, não têm cumprido com a sua promessa. No último ano, um enxame de produções norte-americanas invadiram a programação da emissora, através da parceria com a duvidosa E+ Entretenimento. Mas sobre isso falaremos ao longo desta matéria.

Ligação com a Renascer em Cristo

RBTV é controlada por líderes da Renascer em Cristo

RBTV é controlada por líderes da Renascer em Cristo

A Rede Brasil de Televisão é, na verdade, nome fantasia da Mello e Bruno Comunicações e Participações LTDA, empresa ligada à Igreja Apostólica Renascer em Cristo, da bispa Sônia Hernandes e Estevam Hernandes. A empresa pertence ao casal de pastores da igreja, José Antônio Bruno, o Bispo Zé Bruno, que se desligou da igreja em abril deste ano; e sua esposa, a pastora Blanche de Mello Soares Bruno. Zé Bruno também é Deputado Estadual de São Paulo, afiliado ao Democratas.

Documento comprova a ligação da RBTV com a Renascer em Cristo

Bruno e Mello Comunicação e Participações, a RBTV, tem ligações com a Renascer em Cristo

Zé Bruno e sua esposa são donos diretamente da RBTV Lages, cuja a concessão foi outorgada pelo Ministério das Comunicações em janeiro de 2006.

José Antônio Bruno, o Zé Bruno, é dono direto de duas emissoras da RBTV

José Antônio Bruno, o Zé Bruno, é dono direto de duas emissoras da RBTV

Além de 3 emissoras de TV diretamente ligados à Renascer em Cristo, a empresa controla 8 emissoras de rádio. Outras emissoras afiliadas ao espólio midiático da Mello e Bruno, que controla a RBTV, estão no nome de outros líderes da igreja, como é o caso de duas rádios FM no interior do Ceará e uma no interior paulista, propriedade da FH Comunicação e Participações LTDA, da Bispa Sônia Hernandes, presa em janeiro de 2007 por entrar nos EUA com dinheiro escondido até na bíblia.

Lista de sócios da RBTV tem vários líderes da Renascer

Lista de sócios da RBTV tem vários líderes da Renascer

Tanto a FH Comunicação e Participações e a Mello e Bruno, controladora da RBTV, possuem registros na sede administrativa da Renascer em Cristo. As duas empresas são parte de um movimento denunciado pela Folha de S. Paulo em 2003, num esquema em que diversas igrejas fundavam várias empresas diferentes, para burlarem a lei que limita o número de concessões por empresa. As emissoras seriam mantidas através do dízimo dos fiéis das igrejas.

O site do fantasminha camarada

Anglotel não possui registro na Junta Comercial de SP

Anglotel não possui registro na Junta Comercial de SP

O site da Rede Brasil, porém, está registrado no nome de uma outra empresa, a Anglotel Com. Representações LTDA, e tem como responsável Roberto Alvarenga. A sede da empresa fica na Rua Samanbaia, em São Paulo. Apesar do registro ser de São Paulo, a empresa não possui registro na Junta Comercial do estado.

Rede Brasil e E+ Entretenimento, a ligação ilícita

Durante 2008 e 2009, a programação da Rede Brasil de Televisão lembrou as das grandes emissoras brasileiras, exibindo séries e filmes de grandes estúdios como a Fox, Warner e Universal, que possuem contratos de exclusividade com a Globo, SBT e Record, respectivamente. Todas as produções vão ao ar com o selo da E+ Entretenimento, uma empresa registrada no Rio de Janeiro.

A E+ Entretenimento, que já trouxe as bandas teens RBD e Jonas Brothers ao Brasil, junto com a RBTV, foram processadas em 2009 pela Associação Antipirataria de Cinema e Música, a APCM, e a MPA, que representa os grandes estúdios no Brasil. No mesmo ano, a emissora tirou do ar a novela mexicana “Rebelde”, depois que a Televisa informou que somente a CNT, Record e SBT possuem autorização da exibição de suas novelas. “Rebelde” era exibida com o selo da E+ e com a edição do DVD.

Além da RBTV, a NGT – Nova Geração de Televisão -, também exibe séries com o selo da empresa.

Recentemente, Leon Abravanel, diretor comercial do SBT, informou que, através do setor jurídico da emissora, junto com a Warner Bros., iriam notificar a emissora. Desde então, a emissora diminuiu a exibição de séries.

E+ Entretenimento é, na verdade, Star Television Produções Artísticas

E+ Entretenimento é, na verdade, Star Television Produções Artísticas

A E+ Entretenimento, que tem seu site registrado em nome da Stars Television Brasil Produções Artísticas LTDA, no nome de Cristiano G. Cardoso, possui sede no Rio de Janeiro, porém não tem registro na Junta Comercial fluminense. Além disso, a marca E+ Entretenimento também não é registrado junto ao INPI.

Procurada na ocasião da primeira denúncia, a E+ Entretenimento informou que compra as séries de uma empresa sediada nas Ilhas Virgens, um paraíso fiscal.

A E+ Entretenimento já tentou uma parceria com a RedeTV!, porém a emissora não fechou acordo com a produtora, pois ela não conseguiu provar que as séries distribuídas pela empresa são compradas legalmente.

Rede Brasil Cristã

A Rede Brasil e a EBF Eventos, empresa que organiza a ExpoCristã, fecharam um acordo para que, durante algumas horas da programação, a Rede Brasil se transforme na Rede Brasil Cristã, exibindo programas evangélicos.

No lançamento da nova programação da emissora,  o bispo Geraldo Tenuta, deputado federal ligado à Renascer, aparece, ao lado de outros membros de igrejas distintas. Na campanha, é falado que, gradativamente, a programação da emissora será transformada em evangélica.

A nossa intenção não é discriminar nenhuma religião, nem seus líderes, mas apenas informar e cobrar explicações dessas ligações entre entidades com problemas na Justiça, que burlam leis e têm ligação explícita com empresas que promovem a pirataria na televisão.

Procurada, a Rede Brasil de Televisão ainda não respondeu aos nossos e-mails e, caso responda, será adicionada nessa matéria. A E+ Entretenimento não fornece nenhum tipo de contato em seu site, que está em manutenção.

Filme sobre Silvio Santos está perto de sair

O longa, escrito por Sônia Abrão, deverá ser rodado pela Paramount

Por Luan Borges

O filme sobre a vida de Silvio Santos está muito próximo de sair, é o que garante o produtor Elias Abrão, que também dirige o programa “A Tarde é Sua”, na RedeTV!, famoso por suas peculiares matérias sobre mortes de famosos. O roteiro será escrito por Sônia Abrão, que durante anos trabalhou na emissora de Silvio e foi jurada do Troféu Imprensa, e será baseado no livro “A Fantástica História de Silvio Santos”, de Arlindo Silva.

Segundo Elias, o filme deverá ser distribuído pela Paramount, que tem contrato com… a Globo! Sendo assim, é muito provável que o filme sobre a vida de Silvio Santos não seja exibido pelo SBT.

O roteiro está quase pronto, garante Elias. “Ela teve de acrescentar dados que não estavam no livro, como a morte de Lombardi, por exemplo”, conta. Deixando bem claro que, Sônia Abrão e morte estão sempre juntas, né?

TodAsCores: Muito além do rosa

O blog ‘TodAsCores’ nasce com a proposta de dar voz a todos

Por Luan Borges
Ponto Notícia

Blogs gays existem aos montes, alguns muito famosos, mas blogs plurais são poucos. Foi pensando nisso que Erika Bueno e Luan Borges decidiram criar um novo blog: o “TodAsCores” (http://www.todascores.com), onde o objetivo é integrar pessoas, independente da orientação sexual.

Gays, lésbicas, bissexuais, transsexuais, travestis, heterossexuais, todos terão um espaço no TodAsCores. “Existem blogs com equipe exclusivamente hétero e exclusivamente gay. Isso é preconceito, apartheid”, diz Erika Bueno.

A ideia é levar todos os tipos de opinião para todos os tipos de público, sem preconceito. “Esse é o nosso diferencial. Falamos para os gays, para os héteros, para os pais, sem nenhuma censura. É por isso que lutamos, pela união”, declara Luan Borges.

Além de Erika e Luan, outros colunistas também escreverão para o blog, como a jornalista Priscila Souza.

O TodAsCores também está no Twitter, pelo perfil @TodAsCores.

Meia Hora – Jornalismo?

Jornal popularesco traz manchetes de gosto duvidoso

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

O tablóide Meia Hora chegou como um jornal que iria revolucionar o Rio de Janeiro. Seu formato pocket, com só um caderno, pequeno, e de linguagem menos robusta, chegou às bancadas cariocas por apenas 50 centavos. Foi um fenômeno e se tornou o carro-chefe do Grupo O Dia, chegando a ser mais vendido que o próprio “O Dia”.

A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores, o mesmo jardim...

A mesma praça, o mesmo banco...

Com o preço popular, o periódico passou a se aproximar cada vez mais do ‘povão’. A lingagem menos robusta deu lugar ao popular, que agora é popularesmo, beirando o mau-gosto. Na edição da última quarta-feira, foi estampada na capa do jornal a foto da última eliminidada do BBB, em letras grafais: “Chupa, Tessália”. Logo mais abaixo, um trocadilho de péssimo gosto: “Adeus ET”, com uma foto do humorista ET, falecido ontem, e ao lado um cartaz do filme “ET”. E como não esquecer da manchete sobre a morte de do rei do pop Michael Jackson? “Nasceu negro, ficou branco, e agora vai virar cinza”.

Sem comentários...

A lista de manchetes “engraçadinhas” não pára por aí. Podemos citar também as lendárias “Fábio Assunção dá um tempo na carreira”, “Luana Piovanni não tem mais Dado em casa”, “É, nem, vazou” (sobre o vazamento do ENEM) e “Ma-ma-ma-mataram o Ga-ga-ga-guinho”, a indecifrável “Espírito de Marcelo está preso na Terra e pode assombrar Fernanda e Susana”, a ‘hilariante’ “Ronaldo, o povo quer saber, que time é teu?”, a quase impublicável “Ovo podre vira remédio para bilau preguiçoso” e a preconceituosa “Clodovil vira porpurina”. Mas uma não pode deixar de figurar a lista de sandices deste jornal: “Inglês de 13 anos vira o corninho mais jovem do mundo”, complementado com o sub-título “DNA revela: bezerro manso não é o pai!”.

Além das piadas de fazer inveja ao time de roteiristas do Zorra Total, o jornal traz termos que lembram o lendário “O Povo”: meliante, canalha, bandidão, elemento, safadinha, entre outros. O tablóide parece uma nova versão dos extintos “Casseta Popular” e “O Planeta Diário”, que deram origem ao “Casseta e Planeta” da Globo, porém de uma forma de mais mau gosto e que tenta se vender como um jornal de verdade.

Pornografia é um dos carros-chefes do jornal

O mais lamentável é que, na última página do jornal, há uma coluna intitulada “Gata da Hora”, onde uma ‘leitora’ do jornal envia uma foto somente de bíquini para ser publicada, gratuitamente. A desculpa é que a, digamos, ‘modelo’ é uma “homenagem” a algum time carioca. Porém, além da coluna, na edição de domingo, por mais alguns reais, você pode levar a “Revista Gata da Hora” que contem fotos mais ‘ousadas’ das ‘modelos’.

Em suas matérias, os ‘jornalistas’ dispensam os julgamentos: já condenam os acusados sem chance de defesa. Enquanto os principais jornais usam termos como “suspeito”, o Meia Hora já chama de “mau caráter” e no rodapé da página, que antigamente era preenchido com pequenas notícias e informações adicionais da matéria, hoje é preenchido com frases clichês como “Vai sentar no colo do capiroto”, “Vai apodrecer na cadeia”, “Já vai tarde”…

É lamentável ver um jornal tão ruim sendo tão vendido e copiado, enquanto o histórico “Jornal do Brasil” está ameaçado de sair de circulação. Aliás, o que esperar de um jornal que o Lula quer ser colunista? Espero ao menos que os redatores corrijam os erros de português…

Maitê Proença irrita portugueses no ‘Saia Justa’

midia

Atriz cria verdadeira ‘Saia Justa’ ao cuspir na fonte do Monsteiro dos Jerônimos em Portugal

Por Luan Borges
do Direto ao Ponto

Maitê Proença cospe em fonte portuguesa em seu programa

Maitê Proença cospe em fonte portuguesa em seu programa

A atriz Maitê Proença, que apresenta o programa “Saia Justa” no canal pago GNT ao lado de Betty Lago, Márcia Tiburi e Mônica Waldvogel, criou uma verdadeira Saia Justa na edição em que a atriz mostra o vídeo de sua viagem a nossa ex-metrópole.

No vídeo, Maitê ironiza Portugal a todo momento. Logo no começo, Maitê mostra a placa de um número 3 ao contrário, segundo ela, “para provar que está em Portugal”. Ao longo do vídeo, Maitê faz inúmeras referencias as ‘burrices’ dos portugueses, apesar de cometer algumas gafes de chamar o Rio Tejo de “mar”.

O vídeo termina com Maitê Proença cuspindo na fonte do Claustro do Monsteiro de Jerônimos, um patrimônio mundial protegido pela UNESCO.

O vídeo, que já foi exibido pelos canais SIC e RTP, causou revolta no povo português, que exige um pedido de desculpas da atriz. Uma petição online já conta com mais de 2 mil assinaturas.

Em entrevista ao site do jornal “O Globo”, Maitê pediu desculpas e diz que “tudo não passou de uma brincadeira”, porém ela diz que “está faltando humor nas pessoas”.

Veja o vídeo:

Fãs de Chaves fazem movimento para a volta dos episódios perdidos

midia

SBT tem mais de 50 episódios das séries CH engavetados e inéditos

Por Luan Borges
Direto ao Ponto // Blog de Credibilidade

“Tinha que ser o Chaves”, “Ninguém tem paciência comigo”, “Sigam-me os bons”, “Era melhor ter ido ver o filme do Pelé”. Neste ano, completou-se 25 anos que Chaves estreou no Brasil através do SBT e, durante todos esses anos, exibido ininterruptamente. Já Chapolin não tem a mesma sorte: desde que estreou, constantemente é tirado da grade de programação da emissora. As outras séries escritas por Roberto Gomés Bolaños, conhecido mundialmente como Chespirito, permanecem há anos fora do ar: Dr. Chapatin, Chómpiras, Pancada Bonaparte e muitos outros personagens permanecem desconhecidos ao grande público.

Cena do episódio Espíritos Zombeteiros

Cena do episódio "Espíritos Zombeteiros"

Todos já viram pelo menos uma vez na vida um episódio da série mexicana. Muitos acham que sabe todos os episódios de cor e salteado. Apenas acham. Isso porque o SBT mantém engavetados mais de 50 episódios de Chaves, Chapolin e Clube do Chaves. Alguns são episódios que não são exibidos há mais de 20 anos, já outros nunca chegaram a ir ao ar.

Tentando reverter essa situação, os fãs de Chespirito, conhecidos como “CHmaníacos”, criaram o movimento “Volta Perdidos CH & CH”. O movimento já tem mais de duas mil assinaturas (1.500 em apenas 24 horas) e um documentário de quase uma hora de duração, que reúne provas que o SBT tem posse dos episódios que não são mais exibidos. O movimento é liderado por Leandro Lima, Gustavo Berriel, Jader Magri, Anderson Henriques, David Lobão, Marco Maciel e Eduardo Gouvea. O mentor de todo o projeto foi Alisson Cassani.

“Eu mesmo não cheguei a ver muitos dos perdidos quando ainda eram exibidos”, declarou Eduardo Gouveia, conhecido no “Meio CH” como Valette Negro, um dos líderes da campanha. “”Enquanto ninguém mais esperava que um movimento como esse poderia ir para frente, Cassani acreditou e deu força total para que acontecesse.”, disse.

A Pichorra foi exibido dentro do Falando Francamente

"A Pichorra" foi exibido dentro do "Falando Francamente"

Gustavo Berriel, um dos criadores da campanha e dublador dos personagens Nhonho e Sr. Barriga no “Chaves em Desenho Animado”, disse em entrevista ao site “Na Telinha” que o SBT está em posse sim dos episódios perdidos. “Prova disso foi a exibição repentina de vários episódios inéditos de Chapolin com a dublagem clássica (Maga) a partir de 2006.”. Segundo Berriel, o movimento é apoiado por Carlos Seidl, dublador do Seu Madruga: “Ele também acha incrível que, só a partir de 2006, o SBT tenha estreado do nada episódios de Chapolin com a dublagem que ele já tinha feito há tantos anos, com o Marcelo Gastaldi”, diz.

Berriel também dublou na Herbert Richers episódios inéditos da séries Chaves original no ano passado, como informamos aqui no Direto ao Ponto. “Foi o mesmo elenco do desenho animado, com direção do Seidl. Isso também não foi ao ar até hoje. E não temos a menor ideia de quando vai passar.”

Segundo a assessoria de imprensa do SBT, a emissora não exibe mais os episódios perdidos porque, realmente, se perderam durante uma enchente na antiga sede na Vila Guilherme. Os organizadores do movimento rechaçam a justificativa do SBT. “Nós iremos provar que o SBT tem esses episódios em seus arquivos”, diz Eduardo.

Peludinho é um ex-perdido desde 2006

"Peludinho" é um ex-perdido desde 2006

Uma das provas que o SBT tem os episódios perdidos em seus arquivos foram os trechos exibidos dentro do extinto programa “Falando Francamente”, em 2002, apresentado por Sônia Abrão. No programa, alguns episódios perdidos como “A Pichorra” e “Espíritos Zombeteiros” foram exibidos quase na íntegra. O episódio “O Cãozinho Peludinho” também foi exibido e, somente por volta de 2005 e 2006, voltou a ser exibido normalmente. Recentemente, um fã que não tem nenhuma ligação com o movimento conseguiu uma cópia do episódio “Espíritos Zombeteiros” dos arquivos do SBT com alta qualidade de som e imagem, desmentindo a emissora e afastando a hipótese de que os episódios não são mais exibidos por que estão com má qualidade.

O movimento também produziu um documentário de cerca uma hora, onde é explicado o que são os episódios perdidos e provam que o SBT tem sim esses episódios em seus arquivos. O objetivo é que o documentário chegue nas mãos dos altos-executivos do SBT ou da equipe do programa “Pânico na TV”, que já se revelaram CHmaníacos.

Para acessar o site do movimento, clique aqui.

TV e futebol: as semelhanças entre as torcidas

midia

As torcidas entre TV e futebol são bastantes semelhantes

Por Luan Borges

Ver briga de SBTistas e Recordistas por audiência é tão engraçado. Parece até conversa de bar entre flamenguista e vascaíno. Enquanto no futebol são usados jargões como “impedimento”, “juiz ladrão”, “falta”, “tira-teima”, na TV é “consolidado”, “Montenegro ladrão”, “prévia”, “realtime”. Mas o fanatismo e a inutilidade são as mesmas. No futebol, quem lucra são só os cartolas e jogadores de futebol, já na TV, somente os donos das emissoras e apresentadores.

A semelhança entre as torcidas de futebol com as torcidas de TV são tantas que já existe a mesa redonda oficial do ‘televisionismo’ brasileiro: A Roda da Fofoca da Sônia Abrão, com direito a gritaria e excesso de merchans característico de Milton Neves, seu equivalente no campo futebolístico.

Enquanto no futebol as torcidas vibram nas arquibancadas, na televisão, a torcidas acontece na internet: fórum, Orkut, comentários de blog, Twitter… Qualquer lugar é lugar de vibrar e torcer pela emissora favorita.

Assim como no futebol, as chacotas entre torcidas adversárias acontecem a pleno vapor. Apelidos como SBTraço, Recópia, Globosta, são comuns, assim como Bambi, Flamerda, Vaiscaíndo.

Santo André, Bangu, XV de Piracicaba se equivalem a Band, RedeTV!, Gazeta: pequenos mas tem seu público cativo. E assim como no futebol, a troca de estrelas são constantes na TV. Recentemente vimos a rixa entre o Sport Club Silvio Santos e o Clube de Regatas Universal. Eram feitos contratos milionários com a promessa de que assim conseguiriam liderar o campeonato, ou, pelo menos, vice-liderar. No ataque, foi feito um troca-troca. A Record levou Gugu Liberato e sua equipe. Em contra-partida, Silvio Santos reforçou o ataque, meio de campo, defesa e até a comissão técnica, tudo do time adversário. E, é claro, as torcidas vibraram com as contratações.

E, assim como no futebol existem os saudosos torcedores de times já extintos, como o Bauru, existem os torcedores das emissoras já extintas, como os saudosos Manchetistas, que se reúnem para ver no Youtube aberturas de novelas como Pantanal, Dona Beija, Ana Raio e Zé Trovão, Kananga do Japão e tantas outras produções da Manchete e se lamentar pelos anos dourados que se findaram.

Enfim, poderia escrever mais quinhentas linhas enumerando as semelhanças entre torcedores de futebol e torcedores de TV, mas seria inútil. Tão inútil quanto comemorar a audiência do último episódio de “Sobrenatural” no SBT ou o placar do jogo do Flamengo no último domingo. Mas antes de encerrar, confesso: sou um torcedor fanático: tanto no futebol, com o meu Flamengo, quanto na TV, com o meu SBT. Tanto nos estádios de futebol quanto nos controles da televisão, deveria ter um selo com o aviso: “Torcida: aprecie com moderação.”