Direto ao Ponto prepara lançamento de novo portal

tecnologia

Novo portal vem com notícias e opinião de diversos colunistas

Por Luan Borges

O PortalCast leva a opinião e a informação

O PortalCast leva a opinião e a informação

A equipe do Direto ao Ponto prapara o lançamento do mais nov portal de blogs e podcast da internet brasileira: o PortalCast.

O PortalCast já conta com parceiros como o blog da Claudia Lauper, o site Tolloka, o perfil @GayBrasil do Twitter, além do Séries no PC e o Cinéfilo de Plantão, já parceiros do Direto ao Ponto. A intenção é unir cada vez mais colunistas, que terão seus blogs e podcasts disponíveis para download.

Além do conteúdo feito pelos colunistas do novo portal, o PortalCast lançará também playlists com músicas dos mais variados estilos e novos lançamentos do mercado fonográfico para que você possa ouvir em qualquer lugar.

O objetivo do novo portal é unificar num só lugar o melhor do conteúdo da blogosfera brasileira. Com lançamento previsto para novembro, o PortalCast já conta com uma conta no Twitter e endereço: portalcast.blogspot.com

O podcast é um inovador sistema de interação entre internauta e blogueiro: é possível baixar o podcast e colocá-lo em seu aparelho MP3 ou iPod para ouvir quando quiser ou mostrá-lo aos seus amigos. Além disso, é possível criar uma lista virtual de podcast através do iTunes da Apple de forma fácil e organizada.

Em novembro, aguarde o lançamento do mais novo portal de blogs e podcast da internet brasileita: o PortalCast.

Modelo espanca cachorro e se gaba no Twitter

brasil

Modelo Yuri Mesquita publica foto de cachorro espancado e diz ter feito igual

Por Luan Borges

calhorda

Espancou cachorro e se gabou

O modelo Yuri Mesquita Jr, 19 anos, publicou em seu Twitter a foto de um cachorro espancado e afirmou “ter feito igualzinho”. O modelo, que diz fazer testes para a novela infanto-juvenil “Malhação”, excluiu a postagem após receber inúmeras mensagens de repúdio. Desde o dia 3 de setembro ele não publica uma nova mensagem em seu microblog.

Um movimento em defesa dos direitos dos animais iniciou uma campanha para que o senado aprove uma lei que pune quem mata e comete crueldades contra os animais. No blog do advogado criminalista Paulo Cremonesi, há um texto para que você envie para o deputado federal em quem você votou, clicando neste link. O texto segue abaixo:

“Excelentíssimo Senhor Deputado,

Depositei nas urnas, nas últimas eleições, minha confiança em Vossa Excelência por meio do voto. Com o mandato advindo deste voto e de tantos outros, Vossa Excelência é nosso legítimo representante, razão porque peço especial atenção para a proposta de Projeto de Lei que ora encaminho, cujo teor visa a defesa dos animais e punição mais severa para aqueles que, de forma covarde, insistem em levar sofrimento a seres sem defesa, sem condições de reivindicar direitos, SEM VOTO, cujos únicos “REPRESENTANTES” somos nós, que repudiamos a covardia e que amamos animais.

Quero ressaltar que o texto que encaminho foi elaborado por um Advogado e professor de Direito que também já exerceu a função de Procurador da Assembléia Legislativa de São Paulo, cargo cuja atribuição, dentre outras, é o de emitir pareceres sobre LEGALIDADE, FORMA, CONSTITUCIONALIDADE e outros aspectos relativos justamente a projetos de lei.

Portanto, Senhor Deputado, garanto que Vossa Excelência não vai encontrar nenhuma dificuldade e muito menos terá obstáculos nas comissões de Constituição e Justiça e no plenário para que o texto que pretendo tornar Lei, siga de maneira fluente e ordenada para plenário e votação.

Prometo, Senhor Deputado, me empenhar ao máximo quando o projeto for levado a Presidência da Câmara para inclusão em pauta de votação, no sentido de manifestar este mesmo apoio para a inclsão mais rápida possível.

Estou fazendo meu papel de cidadão(ã) e sei que comigo milhares de brasileiros estarão empenhados com o mesmo objetivo. Por isso confio em Vossa Excelência da mesma forma que confiei quando lhe dediquei meu voto nas últimas eleições.

Atenciosamente
( assinar o nome e um email para contato)”

O projeto de lei elaborado segue abaixo, e deve ser enviado junto com o e-mail ao seu deputado. No e-mail deve conter “EU APOIO! http://paulocremonesiblog.blogspot.com/2009/09/em-defesa-dos-animais.html

PROJETO DE LEIAltera o Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98 – Lei de Crimes Ambientais, nos termos do inciso XLIII do art. 5o da Constituição Federal.:

Art 1º Esta Lei altera o Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98 – Lei de Crimes Ambientais.

Artigo 2º – Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98 – Lei de Crimes Ambientais passa a vigorar com as seguintes alterações:

Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena – reclusão de dois a cinco anos e multa

§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

Inciso I – Para efeitos desta lei, são considerados abusos e maus tratos contra animais:

a) abandonar ou deixar de prestar os cuidados necessários, expondo animal sob sua guarda, posse, propriedade ou cuja responsabilidade esteja exercendo ou deixar de prover os meios necessários a sua subsistência.

b) manter animal preso, sem comida, ou deixar de providenciar encaminhamento a entidade idônea ou ainda evitar seu dono ou responsável tenha conhecimento da situação de aprisonamento.

c) deixar, abandonar, largar animal em lugar impróprio, sem higiene ou que o submeta a perigo, dor ou sofrimento

d) envenenar animal por qualquer meio

e) agredir, produzir contato físico apto a provocar lesão, utilizar-se de qualquer meio ou instrumento apto a machucar, causar dor ou sofrimento em animal.

f) mutilar animal, utilizando-se de qualquer meio.

g) utilizar animal em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causando-lhe lesão,pânico ou sofrimento;

h) deixar de providenciar socorro a animal lesionado, doente ou com visível pânico ou sofrimento que esteja sob sua guarda, posse ou responsabilidade.

i) Incitar, divulgar, incentivar qialquer das condutas previstas nesta lei ou criar, manter, participar de qualquer associação, grupo, união de pessoas cuja finalidade seja a prática, incentivo, divulgação, troca de experiências ou métodos destinados ou relacionados a qualquer das condutas previstas nesta lei

j) obter, para si ou para outrem, qualquer vantagem, subtraindo, seqüestrando ou apropriando-se de animal de propriedade, posse ou responsabilidade de terceiros.

k) exigir ou receber de quem tem posse, propriedade ou responsabilidade sobre animal, qualquer vantagem, utilizando de grave ameaça contra animal.

§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se, em qualquer caso, ocorre morte ou inutilização permanente de membro, sentido ou função do animal.

Artigo 3º – Os crimes previstos neste artigo são de ação pública incondicionada.

Artigo 4º – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

EDITORIAL: Brasil, o país que nasceu na cagada

brasil

Em 7 de setembro de 1822, D. Pedro, no meio de uma diarreia, proclama a independência do Brasil

Por Luan Borges

Nos livros de história, a independência vem relatada assim: “No dia 7 de Setembro de 1822, Dom Pedro I proclamou a Independência do Brasil, às margens do Rio Ipiranga, libertando-nos de Portugal”.

Pintura de D. Pedro, nas margens do (posto) Ipiranga

Na sátira, D. Pedro proclama a independência as margens do Posto Ipiranga

O que não contam é que o garanhão-mor do Império, na verdade, estava acometido por uma bela diarreia no dia em que “proclamou” (sim, entre aspas mesmo) a república. Antes de dar o grito que “tornou” o Brasil independente, “Independência ou morte!”, ele havia dado uma ‘aliviada’ em uma casa próxima ao Ipiranga. O brado forte retumbante, presente no hino, é mais brado da caganeira que D. Pedro estava do que o grito de independência.

Podemos, assim dizer, que o Brasil nasceu no meio de uma cagada, e que até hoje vive na cagada. Por onde olhamos, vemos merda por todos os lados. Na política, vivemos a política do “merda até transbordar”. Vemos o caso do excelentíssimo senador, ex-presidente e sempre bigodudo José Sarney. O velhinho não conhece ninguém, nem mesmo seu afilhado de casamento e nega conhecer pessoas que tem o sobrenome Sarney. Isso não é caso pra CPI, é caso pra neurologista! Internem o Sarney, por favor, ele é o único no Brasil todo que não sabe o que é ato secreto.

Indo um pouco mais a fundo, merda maior é ver Fernando Collor de Mello, aquele que o Brasil expulsou à vassouradas do Palácio da Alvorada, de volta ao poder, dessa vez no Congresso Nacional, e ainda com pinta de homem honesto. É ou não é de causar disenteria?

Isso para não citar o caso do Mensalão. Dos 40 acusados, só dois foram impugnados. E os outros 38? São inocentes? Caso esquecido, caso abafado, caso passado.

Dizem que as merdas só estão na política. Pior que não. Me diga, quanto você paga na sua internet banda-larga? Está satisfeito com ela? Pois saiba que o que temos em mãos é sucata. Enquanto você acha que está com o produto top de linha, nas regiões mais desenvolvida, como EUA e Europa, a situação está mil vezes melhor e com o preço mil vezes menor.

Na televisão, nem se fale. Uma ataca a outra, uma acusa a outra. Uma xinga a outra. E no meio disso, o telespectador, que só quer uma programação de qualidade, onde só há “mais do mesmo”, onde a cópia impera e reina. Uma TV de primeira merda!

E no meio desse monte de bosta, está o povo brasileiro. Povo brasileiro que ri, povo brasileiro que bate palma, povo brasileiro que vive do panis et circus. Povo heroico, dê seu brado retumbante pela independência e o fim do Império da Merda Brasileira! Enquanto o país estiver deitado em berço esplêndido, nunca seremos um país de verdade. Gigante pela própria natureza, levantemos desse berço e lutemos. Façamos o futuro que espelhará essa grandeza chegar. Façamos algo pela pátria amada, Brasil!

Especial: O futuro da TV do passado

titulo cópia

Como seria a televisão brasileira se a TV Tupi e Excelsior não perdessem as concessões?

Por Luan Borges

Vamos fazer uma regressão: voltaremos ao ano de 1968. O Brasil vivia uma ditadura militar e na televisão haviam alguns canais: Globo, Cultura, Bandeirantes, Tupi, Record e Excelsior. Originalmente, a Excelsior foi fechada pelos militares, e a Tupi faliu. Ambas foram substituídas pela Manchete e SBT, respectivamente. A Manchete também faliu, e hoje é a deplorável RedeTV!

Mas, imaginemos que nada houvesse mudado na televisão brasileira e se a Tupi e a Excelsior ainda estivessem no ar, o que seria de diferente no cenário televisivo brasileiro? Será que a Rede Globo seria líder de audiência? Será que a televisão brasileira teria uma qualidade melhor? Será que seríamos a referência na televisão mundial?

Perfil das emissoras

A Record teria seu logotipo inspirado na NBC

A Record teria seu logotipo inspirado na NBC

Pra começar, SBT e Manchete nunca teriam existido, e, consequentemente, RedeTV também não, o que já seria um avanço! Sem o SBT, Silvio Santos não teria vendido a Record, e hoje a Record teria o espírito de alegria do SBT. Ou seja, a TV Record hoje pertenceria à Silvio Santos e nunca passaria nas mãos de Edir Macedo. Imagine hoje você sintonizando a Record nos domingos e vendo Silvio Santos jogar aviãozinho de dinheiro?

A Record, sendo assinada por Silvio Santos, teria algumas características de SBT: vinhetas copiadas de canais americanos — inclusive o logotipo –, histórico com novelas enlatadas, Chaves e programação infantil. Imagina a Record contando seus 56 anos de história com Festivais da MPB, Silvio Santos, Hebe Camargo, Bozo, Mara Maravilha, Gugu Liberato. Seria um SBT com o dobro de tamanho e história que tem hoje. Assim como o SBT, a Record de Silvio Santos seria uma alternativa aos canais líderes e seu carro-chefe seria o “Programa Silvio Santos”.

A Excelsior continuaria com os três canhões de cores

A Excelsior continuaria com seus três canhões de cores

A Excelsior seria um exemplo de estratégia e qualidade. Para quem não sabe, a Excelsior inventou a chamada “cascata”, que é quando um programa é procedido de outro com público-alvo parecido, evitando uma debandada de audiência. Inclusive, a Excelsior inventou o esquema “novela, jornal, novela”, usado até hoje pela Rede Globo. Hoje, a Excelsior iria cobrir esportes e grandes shows com qualidade realmente de primeira.

Na Tupi, o know-how da pioneira ajudaria e muito a emissora. A Tupi inventou a novela como é hoje, contando casos do cotidiano da população, enquanto a Globo fazia histórias fantasiosas com Glória Magadán. A pioneira também inovaria hoje em dia, trazendo para o Brasil o formato das séries internacionais de grande sucesso.

Tupi

A Tupi iluminaria seu logo em forma de "T" com três cores

Na Globo, não haveria comodismo por ser líder, mas sim uma luta para conseguir a liderança. Sempre buscando inovar, fechando parcerias internacionais, transmitindo grandes competições e tentando ao máximo inovar na TV.

Na Band, como não restaria muita coisa, só artistas em fim de carreira e campeonatos abandonados pelas grandes redes, acaba se tornando uma emissora exclusivamente jornalística.

Mercado

Assim como no resto do continente americano, exceto o México, a audiência na televisão brasileira seria disputadíssima. Com quatro grandes redes com extrema qualidade brigando pela liderança, haveriam mais produções na televisão, principalmente de teledramaturgia. Assim, o mercado para profissionais seria o triplo que é hoje. O mercado publicitário também seria muito mais divido, já que não haveria mais concentração de audiência numa só emissora.

Emissoras maiores gerariam mais empregos para os profissionais

Emissoras maiores gerariam mais empregos para os profissionais

Nesse cenário, a criatividade seria incetivada, já que não haveria mais uma emissora líder para copiar. Todas as emissoras teriam sua própria identidade visual diferenciada.

Além disso, para alimentar o mercado, novos autores, atores e apresentadores surgiriam, renovando a cara da televisão brasileira. Com novos autores, novas ideias surgiriam na tela, assim nascendo novas obras-primas da teledramaturgia brasileira.

Audiência

Globo, Tupi e Excelsior brigariam pela liderança a todo momento, assim com NBC, CBS e ABC nos Estados Unidos. Fazendo uma comparação bem por baixo, a Record seria como a Fox americana: mais popular, investiria em alguns setores e em alguns momentos lideraria.

A Record, com seu perfil popular, investiria em atrações como Ratinho, programas policiais, reality-shows. Enfim, seria muito parecida com o SBT atrás de uma audiência fácil e surgiria com alguns diferenciais, sendo a alternativa às emissoras líderes.

Tecnologia

Para conseguir audiência, as TVs investiriam em mobilidade

Para conseguir audiência, as TVs investiriam em mobilidade

As emissoras, para cada vez mais conquistarem público, investiriam em mídias alternativas, como os celulares com televisão, TV digital e internet, fazendo o telespectador participar ativamente dos programas das emissoras.

Imagine você podendo participar ao vivo da internet da maioria dos programas da TV brasileira, mais ativamente do que hoje. Mais uma vantagem da competição da televisão brasileira.

Teríamos uma TV com história, competitiva, inovadora, de qualidade. Enfim, teríamos a TV que desejamos. Infelizmente isso não foi possível, graças ao fim da Excelsior e Tupi. Hoje temos que nos contentar com emissora sendo usada como lavanderia, emissoras que vendem horários, repletas de amadorismo. Pelo menos na nossa fantasia, houve uma TV com qualidade de verdade.

Michael Jackson pode ter disco póstumo lançado

mundo

Cantor preparava músicas durante anos e já tinha algumas gravadas. Disco pode ser lançado

Por Luan Borges
Com informação da revista Rolling Stone

Michael Jackson trabalhava em disco inédito (Foto: Arquivo)

Michael Jackson trabalhava em disco inédito (Foto: Arquivo)

Michael Jackson pode ter um disco póstumo inédito lançado, é o que informou o jornal britânico The Guardian.

Michael trabalhava em músicas inéditas desde 2007 e o disco já havia sido parcialmente gravado em um estúdio em Las Vegas, era preparado ao lado dos músicos Will.i.am, Akon e Ne-Yo, que dizia: “Esse disco precisa ser melhor que Thriller”.

O disco representaria a volta por cima de Michael depois das acusações de pedofilia, na qual foi inocentado.

O álbum já era pra ter sido lançado, mas Jackson adiava o lançamento por “estar com medo da reação do público”, segundo o jornal britânico.

Michael planejava fazer um mega lançamento do disco, fora do tradicional. O rei do pop iria integrar a internet e os downloads de música para, como o uso de sites de vídeos e redes sociais como o Youtube e o MySpace. A meta era superar o mega-sucesso Thriller, que vendeu mais de 104 milhões de cópias em todo o mundo.

Além do disco inédito, há mais de 100 composições inéditas de Michael em homenagem aos seus três filhos.

Seu último álbum foi Invencible, de 2001, lançado pela gravadora Sony. O disco foi considerado um fracasso, por ter sido duramente humilhado pela crítica e por ter vendido “apenas” 8 milhões de cópias em todo o mundo. Mesmo assim, as vendas são consideradas elevadas pelo padrão de hoje, prejudicado pelo download ilegal de músicas.

Após a morte de Michael, as vendas de seus antigos discos aumentaram considerávelmente. O site americano Amazon.Com mantém seu Top 12 preenchido com discos do cantor, o que pode motivar a algum selo a lançar o disco póstumo.

Michael faleceu na tarde da última quinta-feira, dia 25, por parada cardíaca.

TELEVISÃO: O que há de errado com ‘A Fazenda’?

Porque o reality da Record não dá certo e não cai no gosto do público

A Fazenda ainda não agradou o público

A Fazenda ainda não agradou o público

Hoje o reality-show da Record, “A Fazenda”, completa uma semana no ar. Em apenas uma semana, já aconteceram diversos romances, brigas, panelinhas e outras características que atraem o público.

Mas, com tanta atração chamativa, porque “A Fazenda” não sai da casa dos 10 pontos?

A Record tem um seríssimo problema: querer vencer tudo no grito. Televisão não é no grito, televisão é no conteúdo. Além disso, falta identidade à Record. Tudo na Record é uma simples cópia daquilo que já cansamos de ver nas outras emissoras.

A estrutura da Fazenda também não é das melhores: poucas câmeras, iluminação fraca, “famosos quem?” e ausência de um canal 24 horas, e, porque não, uma trilha sonora péssima e apresentação horrível. E ainda, o número de brigas e romances em menos de uma semana e ausência de um canal 24 horas, abre espaço para suspeitas de uma possível armação.

As alterações do horário também complicam: a cada dia, a atração é exibida em um horário diferente, o que faz que o telespectador tenha que correr atrás da atração.

A Record precisa aprender que televisão se faz com estratégia e qualidade, e não no ego e no grito. Não adianta impor na mídia que está “a caminho da liderança” ou que é “uma TV de primeira”, precisa fazer por onde. Em 2004, a Record tinha um plano de liderança muito bem estruturado, onde a qualidade estava na frente de tudo. O plano se perdeu por volta de 2007, onde programas como “Balanço Geral” e produções como “Os Mutantes” foram dominando a emissora. A Record se perdeu na utopia da liderança a curto prazo. Não é assim. Nunca foi assim. A Globo levou 20 anos pra chegar à liderança. Não é na base da cópia, da arrogância, do ego e da gritaria que se chega lá, e sim com qualidade, e é o que tem faltado na emissora.

ESPECIAL (PARTE 1): Veja a diferença da TV a Cabo brasileira para o resto da América Latina

Direto ao Ponto compara a TV a cabo da Argentina, Chile, México e Venezuela com a do Brasil: diferença é gritante

Por Luan Borges

Em 2006, a Sky e a Directv iniciaram um processo de fusão em toda América Latina, concluído em 2007. Dois anos depois, a nova Sky resultante da fusão só representou desvantagens aos assinantes: preços altos, má qualidade de serviço e de atendimento.

Com o desaparecimento da Directv, abriu-se uma lacuna no mercado da TV paga, que tenta, incompetentemente, preenchê-la. A Via Embratel e a Telefonica TV Digital são exemplos disso. A primeira, apesar de oferecer bons preços, carece dos canais HBOs básicos. Já a segunda, apesar de ter licença para todo o Brasil, atende apenas em São Paulo.

Via Embratel

Recente no mercado, a Via Embratel tem preços baixos, porém peca pelo poucos canais oferecidos. O seu pacote básico custa R$59,90 por mês, sem promoção, porém oferece apenas 20 canais. Já o pacote total custa R$109,90 e tem 44 canais. A operadora não possui os chamados canais da Família HBO – Warner, Sony, AXN, E!, Animax e os próprios HBO -, mas oferece os canais Globosat.

Telefonica TV Digital

A Telefonica TV Digital é uma das melhores operadoras de TV via Satélite do Brasil. Tem os melhores canais, ou seja, livres de canais de tele-vendas e tele-igrejas e tem os pacotes mais flexíveis, onde é possível escolher os temas que você quer assitir. O pacote inicial da operadora custa R$49,90, e cada pacote temático custa R$10,00. O pacote máximo custa R$124,90. Porém, a operadora peca em dois pontos: não tem os canais da Rede Telecine e opera apenas para São Paulo.

A Telefonica TV Digital também opera no Peru, Chile, Colômbia e Venezuela

SKY

É aí que a porca torce o rabo. A Sky é o alvo da nossa comparação com as empresas internacionais. A Sky, seja com o nome Sky ou Directv, opera em toda a América Latina. No Brasil, o pacote mais barato da Sky custa R$99,90, e possui 105 canais, sendo 15 canais abertos, 14 rádios e 32 canais de áudio. Canais realmente pagos são apenas 17, já que o resto é canal de pay-per-view e mosaicos da Sky.

Já o pacote mais caro custa R$180,90, que dá direito a um ponto adicional e aos canais HBO e Telecine.

O preço não para por aí: o canal BandSports é vendido à parte, custando R$3,90. O Premiere Combate, também vendido à parte, custa R$45,90. Para assistir ao Campeonato Espanhol, o assinante precisa desembolsar mais R$19,90 ao mês. O site da operadora não informa o valor do pacote Sócio PFC, que dá direito ao Campeonato Brasileiro, porém, de acordo com o site da Telefonica TV Digital, o pacote mais barato custa R$49,90 e o mais caro, R$79,90. O canal BandNews também é vendido à parte e custa R$3,90 ao mês.

Para receber todos os canais da Sky, com exceção dos canais adultos e internacionais, é preciso desenbolsar mensalmente a bagatela de R$334,40. Surreal para um país no qual o salário mínimo é de RS465,00.

Amanhã você verá os valores da TV paga no resto da América Latina