Por trás da Rede Brasil de Televisão

Emissora de TV em UHF esconde ligação com pirataria e igreja evangélica

Por Luan Borges

A Rede Brasil de Televisão (RBTV), rede em UHF brasileira, foi fundada em 2007, mas sua história começa em 2000, quando começaram a lutar pelas suas concessões.

Até esse ponto, nada de errado há na história da emissora. Porém, a emissora que, em sua fundação, falou sobre “responsabilidade social”, “pluralidade”, “regionalização” e “transparência“, não têm cumprido com a sua promessa. No último ano, um enxame de produções norte-americanas invadiram a programação da emissora, através da parceria com a duvidosa E+ Entretenimento. Mas sobre isso falaremos ao longo desta matéria.

Ligação com a Renascer em Cristo

RBTV é controlada por líderes da Renascer em Cristo

RBTV é controlada por líderes da Renascer em Cristo

A Rede Brasil de Televisão é, na verdade, nome fantasia da Mello e Bruno Comunicações e Participações LTDA, empresa ligada à Igreja Apostólica Renascer em Cristo, da bispa Sônia Hernandes e Estevam Hernandes. A empresa pertence ao casal de pastores da igreja, José Antônio Bruno, o Bispo Zé Bruno, que se desligou da igreja em abril deste ano; e sua esposa, a pastora Blanche de Mello Soares Bruno. Zé Bruno também é Deputado Estadual de São Paulo, afiliado ao Democratas.

Documento comprova a ligação da RBTV com a Renascer em Cristo

Bruno e Mello Comunicação e Participações, a RBTV, tem ligações com a Renascer em Cristo

Zé Bruno e sua esposa são donos diretamente da RBTV Lages, cuja a concessão foi outorgada pelo Ministério das Comunicações em janeiro de 2006.

José Antônio Bruno, o Zé Bruno, é dono direto de duas emissoras da RBTV

José Antônio Bruno, o Zé Bruno, é dono direto de duas emissoras da RBTV

Além de 3 emissoras de TV diretamente ligados à Renascer em Cristo, a empresa controla 8 emissoras de rádio. Outras emissoras afiliadas ao espólio midiático da Mello e Bruno, que controla a RBTV, estão no nome de outros líderes da igreja, como é o caso de duas rádios FM no interior do Ceará e uma no interior paulista, propriedade da FH Comunicação e Participações LTDA, da Bispa Sônia Hernandes, presa em janeiro de 2007 por entrar nos EUA com dinheiro escondido até na bíblia.

Lista de sócios da RBTV tem vários líderes da Renascer

Lista de sócios da RBTV tem vários líderes da Renascer

Tanto a FH Comunicação e Participações e a Mello e Bruno, controladora da RBTV, possuem registros na sede administrativa da Renascer em Cristo. As duas empresas são parte de um movimento denunciado pela Folha de S. Paulo em 2003, num esquema em que diversas igrejas fundavam várias empresas diferentes, para burlarem a lei que limita o número de concessões por empresa. As emissoras seriam mantidas através do dízimo dos fiéis das igrejas.

O site do fantasminha camarada

Anglotel não possui registro na Junta Comercial de SP

Anglotel não possui registro na Junta Comercial de SP

O site da Rede Brasil, porém, está registrado no nome de uma outra empresa, a Anglotel Com. Representações LTDA, e tem como responsável Roberto Alvarenga. A sede da empresa fica na Rua Samanbaia, em São Paulo. Apesar do registro ser de São Paulo, a empresa não possui registro na Junta Comercial do estado.

Rede Brasil e E+ Entretenimento, a ligação ilícita

Durante 2008 e 2009, a programação da Rede Brasil de Televisão lembrou as das grandes emissoras brasileiras, exibindo séries e filmes de grandes estúdios como a Fox, Warner e Universal, que possuem contratos de exclusividade com a Globo, SBT e Record, respectivamente. Todas as produções vão ao ar com o selo da E+ Entretenimento, uma empresa registrada no Rio de Janeiro.

A E+ Entretenimento, que já trouxe as bandas teens RBD e Jonas Brothers ao Brasil, junto com a RBTV, foram processadas em 2009 pela Associação Antipirataria de Cinema e Música, a APCM, e a MPA, que representa os grandes estúdios no Brasil. No mesmo ano, a emissora tirou do ar a novela mexicana “Rebelde”, depois que a Televisa informou que somente a CNT, Record e SBT possuem autorização da exibição de suas novelas. “Rebelde” era exibida com o selo da E+ e com a edição do DVD.

Além da RBTV, a NGT – Nova Geração de Televisão -, também exibe séries com o selo da empresa.

Recentemente, Leon Abravanel, diretor comercial do SBT, informou que, através do setor jurídico da emissora, junto com a Warner Bros., iriam notificar a emissora. Desde então, a emissora diminuiu a exibição de séries.

E+ Entretenimento é, na verdade, Star Television Produções Artísticas

E+ Entretenimento é, na verdade, Star Television Produções Artísticas

A E+ Entretenimento, que tem seu site registrado em nome da Stars Television Brasil Produções Artísticas LTDA, no nome de Cristiano G. Cardoso, possui sede no Rio de Janeiro, porém não tem registro na Junta Comercial fluminense. Além disso, a marca E+ Entretenimento também não é registrado junto ao INPI.

Procurada na ocasião da primeira denúncia, a E+ Entretenimento informou que compra as séries de uma empresa sediada nas Ilhas Virgens, um paraíso fiscal.

A E+ Entretenimento já tentou uma parceria com a RedeTV!, porém a emissora não fechou acordo com a produtora, pois ela não conseguiu provar que as séries distribuídas pela empresa são compradas legalmente.

Rede Brasil Cristã

A Rede Brasil e a EBF Eventos, empresa que organiza a ExpoCristã, fecharam um acordo para que, durante algumas horas da programação, a Rede Brasil se transforme na Rede Brasil Cristã, exibindo programas evangélicos.

No lançamento da nova programação da emissora,  o bispo Geraldo Tenuta, deputado federal ligado à Renascer, aparece, ao lado de outros membros de igrejas distintas. Na campanha, é falado que, gradativamente, a programação da emissora será transformada em evangélica.

A nossa intenção não é discriminar nenhuma religião, nem seus líderes, mas apenas informar e cobrar explicações dessas ligações entre entidades com problemas na Justiça, que burlam leis e têm ligação explícita com empresas que promovem a pirataria na televisão.

Procurada, a Rede Brasil de Televisão ainda não respondeu aos nossos e-mails e, caso responda, será adicionada nessa matéria. A E+ Entretenimento não fornece nenhum tipo de contato em seu site, que está em manutenção.

Meia Hora – Jornalismo?

Jornal popularesco traz manchetes de gosto duvidoso

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

O tablóide Meia Hora chegou como um jornal que iria revolucionar o Rio de Janeiro. Seu formato pocket, com só um caderno, pequeno, e de linguagem menos robusta, chegou às bancadas cariocas por apenas 50 centavos. Foi um fenômeno e se tornou o carro-chefe do Grupo O Dia, chegando a ser mais vendido que o próprio “O Dia”.

A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores, o mesmo jardim...

A mesma praça, o mesmo banco...

Com o preço popular, o periódico passou a se aproximar cada vez mais do ‘povão’. A lingagem menos robusta deu lugar ao popular, que agora é popularesmo, beirando o mau-gosto. Na edição da última quarta-feira, foi estampada na capa do jornal a foto da última eliminidada do BBB, em letras grafais: “Chupa, Tessália”. Logo mais abaixo, um trocadilho de péssimo gosto: “Adeus ET”, com uma foto do humorista ET, falecido ontem, e ao lado um cartaz do filme “ET”. E como não esquecer da manchete sobre a morte de do rei do pop Michael Jackson? “Nasceu negro, ficou branco, e agora vai virar cinza”.

Sem comentários...

A lista de manchetes “engraçadinhas” não pára por aí. Podemos citar também as lendárias “Fábio Assunção dá um tempo na carreira”, “Luana Piovanni não tem mais Dado em casa”, “É, nem, vazou” (sobre o vazamento do ENEM) e “Ma-ma-ma-mataram o Ga-ga-ga-guinho”, a indecifrável “Espírito de Marcelo está preso na Terra e pode assombrar Fernanda e Susana”, a ‘hilariante’ “Ronaldo, o povo quer saber, que time é teu?”, a quase impublicável “Ovo podre vira remédio para bilau preguiçoso” e a preconceituosa “Clodovil vira porpurina”. Mas uma não pode deixar de figurar a lista de sandices deste jornal: “Inglês de 13 anos vira o corninho mais jovem do mundo”, complementado com o sub-título “DNA revela: bezerro manso não é o pai!”.

Além das piadas de fazer inveja ao time de roteiristas do Zorra Total, o jornal traz termos que lembram o lendário “O Povo”: meliante, canalha, bandidão, elemento, safadinha, entre outros. O tablóide parece uma nova versão dos extintos “Casseta Popular” e “O Planeta Diário”, que deram origem ao “Casseta e Planeta” da Globo, porém de uma forma de mais mau gosto e que tenta se vender como um jornal de verdade.

Pornografia é um dos carros-chefes do jornal

O mais lamentável é que, na última página do jornal, há uma coluna intitulada “Gata da Hora”, onde uma ‘leitora’ do jornal envia uma foto somente de bíquini para ser publicada, gratuitamente. A desculpa é que a, digamos, ‘modelo’ é uma “homenagem” a algum time carioca. Porém, além da coluna, na edição de domingo, por mais alguns reais, você pode levar a “Revista Gata da Hora” que contem fotos mais ‘ousadas’ das ‘modelos’.

Em suas matérias, os ‘jornalistas’ dispensam os julgamentos: já condenam os acusados sem chance de defesa. Enquanto os principais jornais usam termos como “suspeito”, o Meia Hora já chama de “mau caráter” e no rodapé da página, que antigamente era preenchido com pequenas notícias e informações adicionais da matéria, hoje é preenchido com frases clichês como “Vai sentar no colo do capiroto”, “Vai apodrecer na cadeia”, “Já vai tarde”…

É lamentável ver um jornal tão ruim sendo tão vendido e copiado, enquanto o histórico “Jornal do Brasil” está ameaçado de sair de circulação. Aliás, o que esperar de um jornal que o Lula quer ser colunista? Espero ao menos que os redatores corrijam os erros de português…

O Governo não liga para as drogas

Apesar de ter secretaria de prevenção ao uso de drogas, o Governo Federal não tem nenhum programa público para tal

Por Luan Borges
Ponto Notícia

Na última semana, acompanhamos o caso do humorista Marcos da Silva Herédia, conhecido como Zina, do programa “Pânico na TV!”, que foi detido portando uma cápsula de cocaína num carro. O caso, que foi comentado em toda a imprensa, fez com que o programa deixasse de lado um pouco o humor e falasse sério sobre esse grave problema que é o uso de drogas.

O programa entrevistou Izilda Alves, coordenadora do programa “Jovem Pan pela vida contra as drogas”, que revelou que o Governo Federal repassa apenas R$ 60 mil por ano, R$ 5 mil por mês, ao Estado de São Paulo para a prevenção do uso de drogas e tratamento de dependentes químicos. Izilda também revelou que 25% da população brasileira é dependente químico.

A equipe do Ponto Notícia consultou o Senador Álvaro Dias (PSDB/PR) se havia algum projeto no Congresso para uma campanha anti-drogas mais efetivas nas escolas, e a resposta que recebemos foi que “não há nenhum programa de governo instituído e o repasse de recursos para essa finalidade é pífio”, afirma Dias.

O trabalho da SENAD – Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas -, órgão que tem status de ministério se mostra ineficaz quando o assunto é realmente as políticas anti-drogas. O secretário Paulo Roberto Yog de Miranda Uchoa, que também é general-de-divisão do Exército Brasileiro, tenta implementar, sem sucesso, uma Política Nacional Antidrogas. Não há campanha de prevenção nas escolas públicas, salvo secretarias municipais para o assunto.

A deficiência do sistema público de ensino e de saúde brasileiros ajudam a agravar o problema das drogas. Em algumas comunidades carentes de São Paulo, não há uma ação social para a prevenção das drogas há mais de 20 anos. Em áreas de riscos do Rio de Janeiro, a situação se agrava: os traficantes assumem o papel do Estado, ausente nessas localidades, e conquistam o apoio da população local.

A chave mestre para a prevenção do uso de drogas é, sem dúvidas, da educação. Professores, alunos e diretores podem começar uma campanha anti-drogas em seu colégio. O uso de drogas é um problema que a população e o governo não podem fingir que não existe, pois atinge todas as classes sociais, sem distinção de raça, religião e orientação sexual.

TV e futebol: as semelhanças entre as torcidas

midia

As torcidas entre TV e futebol são bastantes semelhantes

Por Luan Borges

Ver briga de SBTistas e Recordistas por audiência é tão engraçado. Parece até conversa de bar entre flamenguista e vascaíno. Enquanto no futebol são usados jargões como “impedimento”, “juiz ladrão”, “falta”, “tira-teima”, na TV é “consolidado”, “Montenegro ladrão”, “prévia”, “realtime”. Mas o fanatismo e a inutilidade são as mesmas. No futebol, quem lucra são só os cartolas e jogadores de futebol, já na TV, somente os donos das emissoras e apresentadores.

A semelhança entre as torcidas de futebol com as torcidas de TV são tantas que já existe a mesa redonda oficial do ‘televisionismo’ brasileiro: A Roda da Fofoca da Sônia Abrão, com direito a gritaria e excesso de merchans característico de Milton Neves, seu equivalente no campo futebolístico.

Enquanto no futebol as torcidas vibram nas arquibancadas, na televisão, a torcidas acontece na internet: fórum, Orkut, comentários de blog, Twitter… Qualquer lugar é lugar de vibrar e torcer pela emissora favorita.

Assim como no futebol, as chacotas entre torcidas adversárias acontecem a pleno vapor. Apelidos como SBTraço, Recópia, Globosta, são comuns, assim como Bambi, Flamerda, Vaiscaíndo.

Santo André, Bangu, XV de Piracicaba se equivalem a Band, RedeTV!, Gazeta: pequenos mas tem seu público cativo. E assim como no futebol, a troca de estrelas são constantes na TV. Recentemente vimos a rixa entre o Sport Club Silvio Santos e o Clube de Regatas Universal. Eram feitos contratos milionários com a promessa de que assim conseguiriam liderar o campeonato, ou, pelo menos, vice-liderar. No ataque, foi feito um troca-troca. A Record levou Gugu Liberato e sua equipe. Em contra-partida, Silvio Santos reforçou o ataque, meio de campo, defesa e até a comissão técnica, tudo do time adversário. E, é claro, as torcidas vibraram com as contratações.

E, assim como no futebol existem os saudosos torcedores de times já extintos, como o Bauru, existem os torcedores das emissoras já extintas, como os saudosos Manchetistas, que se reúnem para ver no Youtube aberturas de novelas como Pantanal, Dona Beija, Ana Raio e Zé Trovão, Kananga do Japão e tantas outras produções da Manchete e se lamentar pelos anos dourados que se findaram.

Enfim, poderia escrever mais quinhentas linhas enumerando as semelhanças entre torcedores de futebol e torcedores de TV, mas seria inútil. Tão inútil quanto comemorar a audiência do último episódio de “Sobrenatural” no SBT ou o placar do jogo do Flamengo no último domingo. Mas antes de encerrar, confesso: sou um torcedor fanático: tanto no futebol, com o meu Flamengo, quanto na TV, com o meu SBT. Tanto nos estádios de futebol quanto nos controles da televisão, deveria ter um selo com o aviso: “Torcida: aprecie com moderação.”

Modelo espanca cachorro e se gaba no Twitter

brasil

Modelo Yuri Mesquita publica foto de cachorro espancado e diz ter feito igual

Por Luan Borges

calhorda

Espancou cachorro e se gabou

O modelo Yuri Mesquita Jr, 19 anos, publicou em seu Twitter a foto de um cachorro espancado e afirmou “ter feito igualzinho”. O modelo, que diz fazer testes para a novela infanto-juvenil “Malhação”, excluiu a postagem após receber inúmeras mensagens de repúdio. Desde o dia 3 de setembro ele não publica uma nova mensagem em seu microblog.

Um movimento em defesa dos direitos dos animais iniciou uma campanha para que o senado aprove uma lei que pune quem mata e comete crueldades contra os animais. No blog do advogado criminalista Paulo Cremonesi, há um texto para que você envie para o deputado federal em quem você votou, clicando neste link. O texto segue abaixo:

“Excelentíssimo Senhor Deputado,

Depositei nas urnas, nas últimas eleições, minha confiança em Vossa Excelência por meio do voto. Com o mandato advindo deste voto e de tantos outros, Vossa Excelência é nosso legítimo representante, razão porque peço especial atenção para a proposta de Projeto de Lei que ora encaminho, cujo teor visa a defesa dos animais e punição mais severa para aqueles que, de forma covarde, insistem em levar sofrimento a seres sem defesa, sem condições de reivindicar direitos, SEM VOTO, cujos únicos “REPRESENTANTES” somos nós, que repudiamos a covardia e que amamos animais.

Quero ressaltar que o texto que encaminho foi elaborado por um Advogado e professor de Direito que também já exerceu a função de Procurador da Assembléia Legislativa de São Paulo, cargo cuja atribuição, dentre outras, é o de emitir pareceres sobre LEGALIDADE, FORMA, CONSTITUCIONALIDADE e outros aspectos relativos justamente a projetos de lei.

Portanto, Senhor Deputado, garanto que Vossa Excelência não vai encontrar nenhuma dificuldade e muito menos terá obstáculos nas comissões de Constituição e Justiça e no plenário para que o texto que pretendo tornar Lei, siga de maneira fluente e ordenada para plenário e votação.

Prometo, Senhor Deputado, me empenhar ao máximo quando o projeto for levado a Presidência da Câmara para inclusão em pauta de votação, no sentido de manifestar este mesmo apoio para a inclsão mais rápida possível.

Estou fazendo meu papel de cidadão(ã) e sei que comigo milhares de brasileiros estarão empenhados com o mesmo objetivo. Por isso confio em Vossa Excelência da mesma forma que confiei quando lhe dediquei meu voto nas últimas eleições.

Atenciosamente
( assinar o nome e um email para contato)”

O projeto de lei elaborado segue abaixo, e deve ser enviado junto com o e-mail ao seu deputado. No e-mail deve conter “EU APOIO! http://paulocremonesiblog.blogspot.com/2009/09/em-defesa-dos-animais.html

PROJETO DE LEIAltera o Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98 – Lei de Crimes Ambientais, nos termos do inciso XLIII do art. 5o da Constituição Federal.:

Art 1º Esta Lei altera o Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98 – Lei de Crimes Ambientais.

Artigo 2º – Artigo 32 da Lei Federal nº. 9.605/98 – Lei de Crimes Ambientais passa a vigorar com as seguintes alterações:

Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena – reclusão de dois a cinco anos e multa

§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

Inciso I – Para efeitos desta lei, são considerados abusos e maus tratos contra animais:

a) abandonar ou deixar de prestar os cuidados necessários, expondo animal sob sua guarda, posse, propriedade ou cuja responsabilidade esteja exercendo ou deixar de prover os meios necessários a sua subsistência.

b) manter animal preso, sem comida, ou deixar de providenciar encaminhamento a entidade idônea ou ainda evitar seu dono ou responsável tenha conhecimento da situação de aprisonamento.

c) deixar, abandonar, largar animal em lugar impróprio, sem higiene ou que o submeta a perigo, dor ou sofrimento

d) envenenar animal por qualquer meio

e) agredir, produzir contato físico apto a provocar lesão, utilizar-se de qualquer meio ou instrumento apto a machucar, causar dor ou sofrimento em animal.

f) mutilar animal, utilizando-se de qualquer meio.

g) utilizar animal em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causando-lhe lesão,pânico ou sofrimento;

h) deixar de providenciar socorro a animal lesionado, doente ou com visível pânico ou sofrimento que esteja sob sua guarda, posse ou responsabilidade.

i) Incitar, divulgar, incentivar qialquer das condutas previstas nesta lei ou criar, manter, participar de qualquer associação, grupo, união de pessoas cuja finalidade seja a prática, incentivo, divulgação, troca de experiências ou métodos destinados ou relacionados a qualquer das condutas previstas nesta lei

j) obter, para si ou para outrem, qualquer vantagem, subtraindo, seqüestrando ou apropriando-se de animal de propriedade, posse ou responsabilidade de terceiros.

k) exigir ou receber de quem tem posse, propriedade ou responsabilidade sobre animal, qualquer vantagem, utilizando de grave ameaça contra animal.

§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se, em qualquer caso, ocorre morte ou inutilização permanente de membro, sentido ou função do animal.

Artigo 3º – Os crimes previstos neste artigo são de ação pública incondicionada.

Artigo 4º – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

EDITORIAL: Brasil, o país que nasceu na cagada

brasil

Em 7 de setembro de 1822, D. Pedro, no meio de uma diarreia, proclama a independência do Brasil

Por Luan Borges

Nos livros de história, a independência vem relatada assim: “No dia 7 de Setembro de 1822, Dom Pedro I proclamou a Independência do Brasil, às margens do Rio Ipiranga, libertando-nos de Portugal”.

Pintura de D. Pedro, nas margens do (posto) Ipiranga

Na sátira, D. Pedro proclama a independência as margens do Posto Ipiranga

O que não contam é que o garanhão-mor do Império, na verdade, estava acometido por uma bela diarreia no dia em que “proclamou” (sim, entre aspas mesmo) a república. Antes de dar o grito que “tornou” o Brasil independente, “Independência ou morte!”, ele havia dado uma ‘aliviada’ em uma casa próxima ao Ipiranga. O brado forte retumbante, presente no hino, é mais brado da caganeira que D. Pedro estava do que o grito de independência.

Podemos, assim dizer, que o Brasil nasceu no meio de uma cagada, e que até hoje vive na cagada. Por onde olhamos, vemos merda por todos os lados. Na política, vivemos a política do “merda até transbordar”. Vemos o caso do excelentíssimo senador, ex-presidente e sempre bigodudo José Sarney. O velhinho não conhece ninguém, nem mesmo seu afilhado de casamento e nega conhecer pessoas que tem o sobrenome Sarney. Isso não é caso pra CPI, é caso pra neurologista! Internem o Sarney, por favor, ele é o único no Brasil todo que não sabe o que é ato secreto.

Indo um pouco mais a fundo, merda maior é ver Fernando Collor de Mello, aquele que o Brasil expulsou à vassouradas do Palácio da Alvorada, de volta ao poder, dessa vez no Congresso Nacional, e ainda com pinta de homem honesto. É ou não é de causar disenteria?

Isso para não citar o caso do Mensalão. Dos 40 acusados, só dois foram impugnados. E os outros 38? São inocentes? Caso esquecido, caso abafado, caso passado.

Dizem que as merdas só estão na política. Pior que não. Me diga, quanto você paga na sua internet banda-larga? Está satisfeito com ela? Pois saiba que o que temos em mãos é sucata. Enquanto você acha que está com o produto top de linha, nas regiões mais desenvolvida, como EUA e Europa, a situação está mil vezes melhor e com o preço mil vezes menor.

Na televisão, nem se fale. Uma ataca a outra, uma acusa a outra. Uma xinga a outra. E no meio disso, o telespectador, que só quer uma programação de qualidade, onde só há “mais do mesmo”, onde a cópia impera e reina. Uma TV de primeira merda!

E no meio desse monte de bosta, está o povo brasileiro. Povo brasileiro que ri, povo brasileiro que bate palma, povo brasileiro que vive do panis et circus. Povo heroico, dê seu brado retumbante pela independência e o fim do Império da Merda Brasileira! Enquanto o país estiver deitado em berço esplêndido, nunca seremos um país de verdade. Gigante pela própria natureza, levantemos desse berço e lutemos. Façamos o futuro que espelhará essa grandeza chegar. Façamos algo pela pátria amada, Brasil!

Especial: O futuro da TV do passado

titulo cópia

Como seria a televisão brasileira se a TV Tupi e Excelsior não perdessem as concessões?

Por Luan Borges

Vamos fazer uma regressão: voltaremos ao ano de 1968. O Brasil vivia uma ditadura militar e na televisão haviam alguns canais: Globo, Cultura, Bandeirantes, Tupi, Record e Excelsior. Originalmente, a Excelsior foi fechada pelos militares, e a Tupi faliu. Ambas foram substituídas pela Manchete e SBT, respectivamente. A Manchete também faliu, e hoje é a deplorável RedeTV!

Mas, imaginemos que nada houvesse mudado na televisão brasileira e se a Tupi e a Excelsior ainda estivessem no ar, o que seria de diferente no cenário televisivo brasileiro? Será que a Rede Globo seria líder de audiência? Será que a televisão brasileira teria uma qualidade melhor? Será que seríamos a referência na televisão mundial?

Perfil das emissoras

A Record teria seu logotipo inspirado na NBC

A Record teria seu logotipo inspirado na NBC

Pra começar, SBT e Manchete nunca teriam existido, e, consequentemente, RedeTV também não, o que já seria um avanço! Sem o SBT, Silvio Santos não teria vendido a Record, e hoje a Record teria o espírito de alegria do SBT. Ou seja, a TV Record hoje pertenceria à Silvio Santos e nunca passaria nas mãos de Edir Macedo. Imagine hoje você sintonizando a Record nos domingos e vendo Silvio Santos jogar aviãozinho de dinheiro?

A Record, sendo assinada por Silvio Santos, teria algumas características de SBT: vinhetas copiadas de canais americanos — inclusive o logotipo –, histórico com novelas enlatadas, Chaves e programação infantil. Imagina a Record contando seus 56 anos de história com Festivais da MPB, Silvio Santos, Hebe Camargo, Bozo, Mara Maravilha, Gugu Liberato. Seria um SBT com o dobro de tamanho e história que tem hoje. Assim como o SBT, a Record de Silvio Santos seria uma alternativa aos canais líderes e seu carro-chefe seria o “Programa Silvio Santos”.

A Excelsior continuaria com os três canhões de cores

A Excelsior continuaria com seus três canhões de cores

A Excelsior seria um exemplo de estratégia e qualidade. Para quem não sabe, a Excelsior inventou a chamada “cascata”, que é quando um programa é procedido de outro com público-alvo parecido, evitando uma debandada de audiência. Inclusive, a Excelsior inventou o esquema “novela, jornal, novela”, usado até hoje pela Rede Globo. Hoje, a Excelsior iria cobrir esportes e grandes shows com qualidade realmente de primeira.

Na Tupi, o know-how da pioneira ajudaria e muito a emissora. A Tupi inventou a novela como é hoje, contando casos do cotidiano da população, enquanto a Globo fazia histórias fantasiosas com Glória Magadán. A pioneira também inovaria hoje em dia, trazendo para o Brasil o formato das séries internacionais de grande sucesso.

Tupi

A Tupi iluminaria seu logo em forma de "T" com três cores

Na Globo, não haveria comodismo por ser líder, mas sim uma luta para conseguir a liderança. Sempre buscando inovar, fechando parcerias internacionais, transmitindo grandes competições e tentando ao máximo inovar na TV.

Na Band, como não restaria muita coisa, só artistas em fim de carreira e campeonatos abandonados pelas grandes redes, acaba se tornando uma emissora exclusivamente jornalística.

Mercado

Assim como no resto do continente americano, exceto o México, a audiência na televisão brasileira seria disputadíssima. Com quatro grandes redes com extrema qualidade brigando pela liderança, haveriam mais produções na televisão, principalmente de teledramaturgia. Assim, o mercado para profissionais seria o triplo que é hoje. O mercado publicitário também seria muito mais divido, já que não haveria mais concentração de audiência numa só emissora.

Emissoras maiores gerariam mais empregos para os profissionais

Emissoras maiores gerariam mais empregos para os profissionais

Nesse cenário, a criatividade seria incetivada, já que não haveria mais uma emissora líder para copiar. Todas as emissoras teriam sua própria identidade visual diferenciada.

Além disso, para alimentar o mercado, novos autores, atores e apresentadores surgiriam, renovando a cara da televisão brasileira. Com novos autores, novas ideias surgiriam na tela, assim nascendo novas obras-primas da teledramaturgia brasileira.

Audiência

Globo, Tupi e Excelsior brigariam pela liderança a todo momento, assim com NBC, CBS e ABC nos Estados Unidos. Fazendo uma comparação bem por baixo, a Record seria como a Fox americana: mais popular, investiria em alguns setores e em alguns momentos lideraria.

A Record, com seu perfil popular, investiria em atrações como Ratinho, programas policiais, reality-shows. Enfim, seria muito parecida com o SBT atrás de uma audiência fácil e surgiria com alguns diferenciais, sendo a alternativa às emissoras líderes.

Tecnologia

Para conseguir audiência, as TVs investiriam em mobilidade

Para conseguir audiência, as TVs investiriam em mobilidade

As emissoras, para cada vez mais conquistarem público, investiriam em mídias alternativas, como os celulares com televisão, TV digital e internet, fazendo o telespectador participar ativamente dos programas das emissoras.

Imagine você podendo participar ao vivo da internet da maioria dos programas da TV brasileira, mais ativamente do que hoje. Mais uma vantagem da competição da televisão brasileira.

Teríamos uma TV com história, competitiva, inovadora, de qualidade. Enfim, teríamos a TV que desejamos. Infelizmente isso não foi possível, graças ao fim da Excelsior e Tupi. Hoje temos que nos contentar com emissora sendo usada como lavanderia, emissoras que vendem horários, repletas de amadorismo. Pelo menos na nossa fantasia, houve uma TV com qualidade de verdade.