Dicaprio e Kate Winslet voltam a estrelar filme juntos após 11 anos depois de “Titanic”

De Lukas Oliveira

Apenas um sonho

Após 11 anos do sucesso do filme “Titanic”, que  rendeu ao casal o sucesso mundial em 1997.O par volta as telonas atuando juntos, porém é impossível não lembrar de alguns momentos vivenciados durante o sucesso de “Titanic” e eles relembram com bastante humor tudo isso.

Segundo Dicaprio, durante as gravações do novo filme que é intitulado como  “Apenas um sonho” a equipe colocou a música tema dos protagonistas em “Titanic” e eles até relembraram a cena da proa do navio que entrou para história do cinema.

O ator ainda diz dever muito a “Titanic” e que foi uma oportunidade incrível,explica também que demorou tanto a encontrar a Kate de novo nas telonas por que não tinham encontrado um projeto adequado.

Dicaprio rende elogios a kate dizendo que ela é a maior atriz da sua geração.

Em “Apenas um sonho”  eles vivem personagens completamente diferentes de jack e Rose.Eles encarnam uma dupla desmotivada com a vida durante a época de desilusão que se seguiu à Segunda Guerra Mundial nos EUA.

“Apenas um sonho” estréia nos Estados Unidos em 26 de dezembro e somente em 30 de janeiro no Brasil.

Internacional: Barack Obama, uma revolução na América

Negro, de descendência direta africana, e de família miscigenada, Obama representa uma revolução na cultura americana

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

O novo presidente americano é negro, e com uma larga vitória.. A apuração ainda não acabou, mas Obama já conseguiu muito mais dos 270 delegados necessários. 349 contra 162 delegados do republicano John McCain. Nos votos populares, é mais 7 milhões de votos de diferença: 63.507.796 votos para Barack Obama contra 56.151.854 para John McCain, segundo os últimos dados do The New York Times.

Mas não foi apenas na vitória de Barack Obama, mas sim de todo o Partido Democrata. Nas 100 cadeiras do Senado americano, os Democratas ganharam mais 5 cadeiras: ficaram com 56 cadeiras, enquanto os Republicanos perderam 5 cadeiras: agora contam com 41.

Na Câmara de Deputados, 19 cadeiras republicanas foram para os Democratas: 254 democratas ocupam a câmara, contra 174 deputados republicanos.

Estados importantes preferiram Obama à McCain: Califórnia, com 55 delegados, a Flórida, com 27, Nova York, com 31, Pensilvânia e Illinois, ambos com 21 delegados. Já para McCain, o único estado importante preferiu McCain: o Texas, terra de George Bush.

A vitória de Barack Obama representa muito mais do que a volta dos Democratas ao comando. Representa uma nova página na história norte-americana: pela primeira vez, um negro está no comando, num país reconhecido pelo preconceito racial. Isso prova que os EUA estão mudando. A maior crise econômica desde a década de 30, mudou as idéias dos americanos. Não importa se é branco ou se é negro, o que eles querem é salvar o país da crise.

Essa eleição representa também uma grande reprovação americana ao governo de George W. Bush, cansados de terem um presidente burro, que comprou a briga do seu pai. A Guerra do Iraque, a caçada sem sucesso a Bin Laden, a ineficiência do presidente para conter a crise, tudo contribuiu para desgastar a imagem do Partido Republicano com o povo estadunidense.

Parabéns ao povo americano, que escolheu muito bem seu governante, depois de 8 anos obscuros sob o comando do tapado George Bush.

Eleições Americanas: Animação trás Palin brigando com Biden

EA divulga vídeo de The Sims 3 com Sarah Palin brigando com Joe Biden. Outro vídeo trás John McCain dançando de cuecas

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

A EA Games divulgou dois vídeos do The Sims 3, um dos jogos mais esperados de 2009. Para amostrar o realismo dos gráficos, os vídeos trazem os candidatos a vice-presidência Sarah Palin e Joe Biden, debatendo entre si, literalmente. No vídeo, Sarah Palin ataca fisicamente o vice de Barack Obama. Os dois, então, se enfrentam numa grande briga, que termina com a vitória de Sarah Palin, o que deixa Obama em desespero.

Em um outro vídeo, McCain e Palin estão discursando para uma platéia entediada. Então, para animar a platéia, eles começam a dançar Hip Hop em trajes de banho. Barack Obama, que assiste a cena enquanto caminha em uma esteira, cai de cara no chão.

No final dos vídeos, é escrito, em inglês que “nenhum candidato foi ferido durante a produção deste vídeo”. Ainda o vídeo, a EA diz que os candidatos não estão autorizados a utilizar os vídeos em suas campanhas.

Cotidiano: Menino é morto em Halloween

Segundo a polícia, o menino foi atingido por um tiro enquanto buscava doces

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

Um garoto de 12 anos morreu na noite da última sexta-feira, dia da comemoração do Halloween, em Sumter, Carolina do Sul.

Segundo informações da polícia local, o menino foi atingido por um tiro enquanto pedia doces em uma casa junto com seu pai e seus irmãos. O tiro foi disparado de dentro da residência. Ainda de acordo com o relato da polícia, o pai se aproximou da casa com os quatro filhos por volta das 20h30 da sexta, e acreditou ter ouvido fogos de artifício.

Além do garoto de 12 anos, os tiros acertaram o pai e outro filho. O suspeito, Quentin Patrick, de 22 anos, já é acusado de assassinato e roubo seguido de tentativa de assassinato.

O garoto de 12 anos morreu no hospital. O pai e o outro filho não correm risco de morte. Os outros dois irmãos não foram feridos.

“Tropa de elite” estréia nos EUA em meio a um vendaval de críticas

Por Lukas Oliveira
Direto ao Ponto

Desde a última sexta-feira (19), o filme “Tropa de Elite” está presente no circuito norte americano sob o título de “Elite Squad”.

O filme de José Padilha, que venceu o Leão de Ouro no Festival de Berlim, em fevereiro, em meio a várias críticas pesadas como ser chamado de “fascista” por publicações como a revista Variety na época da sua première mundial na Alemanha, não teve um tratamento muito diferente por parte da mídia americana.

No dia da estréia, o jornal “The New Yok Times” classificou o filme como “cruelmente feio, desagradável e, por vezes, até uma incoerente agressão aos significados brasileiros” e de “rasa profundidade”.

Além, das críticas sobre o conteúdo foi notado que o trailer em inglês, divulgado pela distribuidora Weinstein Company  não traz diálogos, somento uma narração em “off” e existe até a inclusão de uma cena que não está no filme, em que aparecem os personagens André Matias (André Ramiro) e Neto (Caio Junqueira), na infância, brincando juntos.

Segundo o que consta, a produtora Zazen Produções, de José Padilha, não possui controle sobre a divulgação já que a Weinstein Company adquiriu os direitos do filme, mas afirma que o filme tem exatamente o mesmo corte que o lançado no Brasil e exibido em Berlim.

Entenda a crise financeira que atinge a economia dos EUA

da Folha Online

A crise no mercado hipotecário dos EUA é uma decorrência da crise imobiliária pela qual passa o país, e deu origem, por sua vez, a uma crise mais ampla, no mercado de crédito de modo geral. O principal segmento afetado, que deu origem ao atual estado de coisas, foi o de hipotecas chamadas de “subprime”, que embutem um risco maior de inadimplência.

O mercado imobiliário americano passou por uma fase de expansão acelerada logo depois da crise das empresas “pontocom”, em 2001. Os juros do Federal Reserve (Fed, o BC americano) vieram caindo para que a economia se recuperasse, e o setor imobiliário se aproveitou desse momento de juros baixos. A demanda por imóveis cresceu, devido às taxas baixas de juros nos financiamentos imobiliários e nas hipotecas. Em 2003, por exemplo, os juros do Fed chegaram a cair para 1% ao ano.

Em 2005, o “boom” no mercado imobiliário já estava avançado; comprar uma casa (ou mais de uma) tornou-se um bom negócio, na expectativa de que a valorização dos imóveis fizesse da nova compra um investimento. Também cresceu a procura por novas hipotecas, a fim de usar o dinheiro do financiamento para quitar dívidas e, também, gastar (mais).

As empresas financeiras especializadas no mercado imobiliário, para aproveitar o bom momento do mercado, passaram a atender o segmento “subprime”. O cliente “subprime” é um cliente de renda muito baixa, por vezes com histórico de inadimplência e com dificuldade de comprovar renda. Esse empréstimo tem, assim, uma qualidade mais baixa –ou seja, cujo risco de não ser pago é maior, mas oferece uma taxa de retorno mais alta, a fim de compensar esse risco.

Em busca de rendimentos maiores, gestores de fundos e bancos compram esses títulos “subprime” das instituições que fizeram o primeiro empréstimo e permitem que uma nova quantia em dinheiro seja emprestada, antes mesmo do primeiro empréstimo ser pago. Também interessado em lucrar, um segundo gestor pode comprar o título adquirido pelo primeiro, e assim por diante, gerando uma cadeia de venda de títulos.

Porém, se a ponta (o tomador) não consegue pagar sua dívida inicial, ele dá início a um ciclo de não-recebimento por parte dos compradores dos títulos. O resultado: todo o mercado passa a ter medo de emprestar e comprar os “subprime”, o que termina por gerar uma crise de liquidez (retração de crédito).

Após atingir um pico em 2006, os preços dos imóveis, no entanto, passaram a cair: os juros do Fed, que vinham subindo desde 2004, encareceram o crédito e afastaram compradores; com isso, a oferta começa a superar a demanda e desde então o que se viu foi uma espiral descendente no valor dos imóveis.

Com os juros altos, o que se temia veio a acontecer: a inadimplência aumentou e o temor de novos calotes fez o crédito sofrer uma desaceleração expressiva no país como um todo, desaquecendo a maior economia do planeta –com menos liquidez (dinheiro disponível), menos se compra, menos as empresas lucram e menos pessoas são contratadas.

No mundo da globalização financeira, créditos gerados nos EUA podem ser convertidos em ativos que vão render juros para investidores na Europa e outras partes do mundo, por isso o pessimismo influencia os mercados globais.

Financiadoras

Em setembro do ano passado, o BNP Paribas Investment Partners –divisão do banco francês BNP Paribas– congelou cerca de 2 bilhões de euros dos fundos Parvest Dynamic ABS, o BNP Paribas ABS Euribor e o BNP Paribas ABS Eonia, citando preocupações sobre o setor de crédito ‘subprime’ (de maior risco) nos EUA. Segundo o banco, os três fundos tiveram suas negociações suspensas por não ser possível avaliá-los com precisão, devido aos problemas no mercado “subprime” americano.

Depois dessa medida, o mercado imobiliário passou a reagir em pânico e algumas das principais empresas de financiamento imobiliário passaram a sofrer os efeitos da retração; a American Home Mortgage (AHM), uma das 10 maiores empresa do setor de crédito imobiliário e hipotecas dos EUA, pediu concordata. Outra das principais empresas do setor, a Countrywide Financial, registrou prejuízos decorrentes da crise e foi comprada pelo Bank of America.

Bancos como Citigroup, UBS e Bear Stearns têm anunciado perdas bilionários e prejuízos decorrentes da crise. Entre as vítimas mais recentes da crise estão as duas maiores empresas hipotecárias americanas, a Fannie Mae e a Freddie Mac. Consideradas pelo secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, “tão grandes e tão importantes em nosso sistema financeiro que a falência de qualquer uma delas provocaria uma enorme turbulência no sistema financeiro de nosso país e no restante do globo”, no dia 7 deste mês foi anunciada uma ajuda de até US$ 200 bilhões.

As duas empresas possuem quase a metade dos US$ 12 trilhões em empréstimos para a habitação nos EUA; no segundo trimestre, registraram prejuízos de US$ 2,3 bilhões (Fannie Mae) e de US$ 821 milhões (Freddie Mac).

Menos sorte teve o Lehman Brothers: o governo não disponibilizou ajuda como a que foi destinada às duas hipotecárias. O banco previu na semana passada um prejuízo de US$ 3,9 bilhões e chegou a anunciar uma reestruturação. Antes disso, o banco já havia mantido conversas com o KDB (Banco de Desenvolvimento da Coréia do Sul, na sigla em inglês) em busca de vender uma parte sua, mas a negociação terminou sem acordo.

O Bank of America e o Barclays também recuaram, depois que ficou claro que o governo não iria dar suporte à compra do Lehman. Restou ao banco entregar à Corte de Falências do Distrito Sul de Nova York um pedido de proteção sob o “Capítulo 11”, capítulo da legislação americana que regulamenta falências e concordatas.

Combate

Como medida emergencial para evitar uma desaceleração ainda maior da economia –o que faz crescer o medo que o EUA caiam em recessão, já que 70% do PIB americano é movido pelo consumo–, o presidente americano, George W. Bush, sancionou em fevereiro um pacote de estímulo que incluiu o envio de cheques de restituição de impostos a milhões de norte-americanos.

O pacote estipulou uma restituição de US$ 600 para cada contribuinte com renda anual de até US$ 75 mil; e US$ 1.200 para casais com renda até US$ 150 mil, além de US$ 300 adicionais por filho. Quem não paga imposto de renda, mas recebe o teto de US$ 3 mil anuais, teve direito a cheques de US$ 300.

McCain diz que sabe como capturar Osama

EUA – O candidato republicano à Casa Branca, John McCain, disse na quarta-feira que, se eleito presidente, irá capturar o líder da Al Qaeda Osama bin Laden.

“O presidente (Bill) Clinton teve oportunidades para pegar Osama bin Laden. O presidente Bush teve oportunidades para pegar Osama bin Laden. Eu sei como fazer isso e eu farei isso”, disse ele ao programa “World News” da rede ABC, em uma entrevista.

“Eu entendo que eu tenho o conhecimento e a bagagem e a experiência para tomar as decisões certas. O senador (Barack) Obama não tem”, disse McCain em referência ao seu rival na disputa pela Presidência.

McCain, que foi um piloto da Marinha e passou cinco anos como prisioneiro de guerra no Vietnã, disse que Obama “não sabe como o mundo funciona nem como funciona o Exército”.

Um apoiador desde cedo da guerra do Iraque, o senador por Arizona tem atacado Obama por opôr-se à guerra. Ele foi solicitado a responder a acusação de Obama na semana passada de que o foco de McCain na guerra do Iraque em vez de perseguir a Al Qaeda permitiu que Osama bin Laden escapasse no Afeganistão.

A Al Qaeda é responsabilizada pelos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, que mataram cerca de 3.000 pessoas em Nova York, Washington e Pensilvânia.

Fonte: Estadão.

—-

Também sei como capturar o Osama. É só deixar um avião livre perto de duas torres que ele cai na armadilha. Mas o problema seria arranjar duas torres gêmemas inabitadas. Ah, esquece, soube que já acharam as tais torres.