Justiça proíbe programa de estreia do ‘Conexão Repórter’

Reportagem de estreia de Roberto Cabrini no SBT iria falar de venda de crianças

Por Luan Borges
Ponto Notícia

Roberto Cabrini encabeça o "Conexão Repórter"

Roberto Cabrini encabeça o "Conexão Repórter"

O reportagem de estreia do “Conexão Repórter”, programa de Roberto Cabrini no SBT, foi proibido pelo Juiz Paulo Campos Filho, da 4ª Vara Cível de Osasco, que acatou o pedido de liminar proibindo a exibição da reportagem “Venda de Crianças”. A estreia do programa será na quinta-feira (04).

A informação é que uma personagem entrevistada, que não teve o nome revelado, arrependeu-se da entrevista e entrou com o pedido. O SBT informou que irá recorrer da decisão.

A produção do programa afirmou que há outras 10 matérias encaminhadas, mas nenhuma pronta para a exibição.

Ibope, mais uma vez, sob suspeita

Presidente do Ibope é convocado para prestar contas sobre medição

Por Luan Borges
Ponto Notícia // Com informações da Folha de S. Paulo

O presidente do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatísticas (IBOPE), Carlos Montenegro, será chamado para prestar esclarecimentos sobre a medição de audiência na TV à Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa de São Paulo. O pedido da convocação será feito pelo deputado estadual Milton Flávio (PSDB-SP).

Milton declarou à coluna Outro Canal, da Folha de S. Paulo, que pretende entender como que no apagão do ano passado — ocorrido dia 10 de novembro de 2009 –, a Rede Globo obteve audiência na medição.

Recentemente, a auditoria da empresa Ernst & Young no sistema de medição de audiência da TV revelou que, em 18,75% dos 80 domicílios avaliados, os controles remotos dos equipamentos utilizados na medição estavam fora dos padrões de referência.

Segundo o deputado, “o Ibope deve uma explicação, porque isso pode ter desdobramentos relevantes numa sociedade como a nossa, em que as pessoas gostam de comprar o produto que vende mais, de assistir a TV que é líder, de votar no candidato que vai ganhar”.

O deputado ainda disse que pretende abrir uma CPI caso não considere os esclarecimentos satisfatórios. Procurado, o Ibope disse que caso seja solicitado, irá colaborar com os esclarecimentos.

Relembre a história

Na noite de 10 de novembro de 2009, às 22h13, uma falha em uma das linhas de transmissão da hidrelétrica de Itaipu prejudicou o abastecimento de energia elétrica em 18 estados brasileiros, mais o Distrito Federal e o Paraguai, inclusive o Estado de São Paulo.

No momento do apagão, a TV Globo registrava 30,3 pontos em São Paulo. Estimava-se que a audiência despencaria imediatamente, já que todos os domicílios de São Paulo foram atingidos, considerando um ‘delay’ de 2 ou 3 minutos, porém a Globo só foi registrar baixa na audiência às 22h30, quando registrou 0,9 ponto.

Na ocasião, o Ibope, através de sua assessoria, informou que as residências só pararam de transmitir dados às 22h20.

TodAsCores: Muito além do rosa

O blog ‘TodAsCores’ nasce com a proposta de dar voz a todos

Por Luan Borges
Ponto Notícia

Blogs gays existem aos montes, alguns muito famosos, mas blogs plurais são poucos. Foi pensando nisso que Erika Bueno e Luan Borges decidiram criar um novo blog: o “TodAsCores” (http://www.todascores.com), onde o objetivo é integrar pessoas, independente da orientação sexual.

Gays, lésbicas, bissexuais, transsexuais, travestis, heterossexuais, todos terão um espaço no TodAsCores. “Existem blogs com equipe exclusivamente hétero e exclusivamente gay. Isso é preconceito, apartheid”, diz Erika Bueno.

A ideia é levar todos os tipos de opinião para todos os tipos de público, sem preconceito. “Esse é o nosso diferencial. Falamos para os gays, para os héteros, para os pais, sem nenhuma censura. É por isso que lutamos, pela união”, declara Luan Borges.

Além de Erika e Luan, outros colunistas também escreverão para o blog, como a jornalista Priscila Souza.

O TodAsCores também está no Twitter, pelo perfil @TodAsCores.

A televisão e a Globo de Chacrinha


Porque Chacrinha não teria espaço hoje na época da TV “polticiamente correta”

Luan Borges
Ponto Notícia

“Vocês querem bacalhau?”, “Vai para o trono ou não vai?”, “Na TV nada se cria, tudo se copia!”, “Eu vim para confundi e não para explicar!”. José Abelardo Barboda de Medeiros, conhecido popularmente como Chacrinha, com suas roupas espalhafatosas, sua inseparável buzina, fez história na TV com sua irreverência e jeito inconfundível.

Chacrinha estreou na televisão em 1956, no programa “Rancho Alegre”, na extinta TV Tupi. Logo após, começou a fazer o “Discoteca do Chacrinha” também na TV Tupi, e em seguida foi para a TV Rio. Em 1970, foi contratado pela Rede Globo e fez dois programas semanais: “A Buzina do Chacrinha”, de calouros, e “Discoteca do Chacrinha”. Em 1978, transferiu-se para a TV Bandeirantes, e em 1982, retornou à Globo com o “Cassino do Chacrinha” nas tardes de sábado.

Acompanhado de suas assistentes de palco, batizadas de Chacretes, surgiram as “Dançarinas do Faustão”, “Panicats”, “Hucketes” e foi o embrião das atuais mulheres-frutas. As Chacretes recebiam nomes exóticos: Graça Portellão, Índia Poti, Sandra Pérola Negra, Soninha Toda Pura, Sarita Catatau, Sueli Pingo de Ouro, Valéria Mon Amour, Fátima Boa Viagem, Fernanda Terremoto, Regina Polivalente, e, a mais famosa de todas, Rita Cadillac.

Chacrinha faleceu com 70 anos, no dia 30 de junho de 1988, e junto com ele, foi um formato de politicamente incorreto. Chacrinha levou para a Globo um formato de programa que hoje seria inviável: como permitir que um apresentador jogue bacalhau no público? Que artista iria num programa para ser motivo de chacota pelo apresentador?

Hoje, os críticos de televisão se chocam quando Silvio Santos, outro símbolo do tempo áureo da televisão brasileira, pergunta à Carla Perez se ela “fez ensino fundamental”. O que eles diriam então de um apresentador que taca penicos na plateia? Inviável.

A TV hoje vive a era do correto. Aquilo que sai da cartilha dos padrões estéticos e sociais da TV, ou melhor, da Globo, é taxado para os críticos de “popularesco”, “ruim” e “inculto”. Assim foi com o “Programa do Ratinho”, assim é com o “Pânico”. Saem dos padrões globais, desobedecem as cartilhas e normas criadas pelos manda-chuvas da TV. Chacrinha praticamente rasgava a cartilha que hoje é obedecida, e copiada, pelas maiores redes de TV.

Deus abençoe Chacrinha, que estaria estarrecido vendo o atual estado da televisão brasileira, com Geraldo Luís, Márcia Goldsmicht, Faustão e Gugu. Hoje, Chacrinha não teria espaço, estaria velho e antiquado. Afinal, os mais velhos da televisão hoje são Silvio Santos, dono do SBT, e Hebe Camargo, amiga do dono do SBT. Chacrinha não iria atrair anunciantes, afinal, seu público eram as classes C, D e E, a escória publicitária da TV.

Chacrinha fez história na TV, e, hoje, infelizmente, sua cartilha é seguida por poucos, e não corretamente. Uns tentam, como Fausto Silva, outros inovam, como o “Pânico”, mas Chacrinha, o Velho Guerreiro, é insubstituível.

A Mídia contra a Universal

universal

Os maiores veículos da mídia se opõem a Igreja Universal, que está sozinha

Por Luan Borges

Globo acusa Record (foto: BBB Lua)

Globo acusa Record (foto: BBB Lua)

Nessa semana a mídia bombardeou a Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, depois do Ministério Público de São Paulo ter feito acusações de desvio de verba e lavagem de dinheiro. As denúncias, que foram acolhidas pela 9ª Vara Criminal de São Paulo, logo estamparam as capas dos dois maiores jornais do país: O Globo e a Folha de São Paulo. As denúncias só confirmavam o que todos nós já sabíamos: o dinheiro doado por fiéis à Igreja Universal do Reino de Deus são utilizados pela Rede Record de Televisão e outras empresas de Edir Macedo.

De ontem pra hoje a notícia tomou o mundo. A notícia de fraude da Universal estamparam os sites dos maiores jornais do mundo, como o New York Times (EUA), El Clarín (Argentina), Diário de Notícias (Portugal) e até do Japão. A Igreja Universal tem unidades em todos esses países.

Como forma de se defender, a Igreja Universal reafirmou seu vínculo com a Rede Record e através do principal jornal da emissora, o Jornal da Record defendeu a Igreja Universal e na edição de hoje, quarta-feira, atacou a Rede Globo usando casos antigos, como o acordo com o Grupo Time-Life, a eleição de Collor e o escândalo da Proconsult.

Edson Celulari viveu Mariel Batista que retratava Edir Macedo

Edson Celulari viveu Mariel Batista que retratava Edir Macedo em 1995 (Foto: Teledramaturgia)

A guerra entre Globo e Record não é novidade. O último ‘roud’ expressivo dessa batalha foi por volta de 1995, quando a Rede Globo exibiu imagens de Edir Macedo ensinando aos pastores como extorquir dinheiro dos fiéis, quando o bispo disse a famosa frase “ou dá ou desce” e “Dez Mil, traz aqui!”, se referindo ao Cajado de Moisés. Nessa época, a Globo chegou a produzir uma minissérie, chamada “Decadência”, retratando Edir Macedo e a Igreja Universal.

Da primeira vez, a Igreja Universal teve o apoio de outras igrejas protestantes, como a Assembléia de Deus, de Silas Malafaia, porque a Universal alegava ‘perseguição religiosa. Agora, todas as igrejas estão contra a Igreja Universal. As igrejas afirmam que não concordam com a forma que a Universal pede doações dos fiéis.

Os maiores jornais estão se posicionando contra a Igreja Universal e a Rede Record. O jornal Estado de São Paulo publicou hoje novas denúncias contra a igreja. A revista Veja traz estampado em seu site notícias sobre as acusações e indica no acervo digital da revista matérias antigas sobre fraudes da Igreja Universal. Não há dúvidas que na edição de domingo o caso esteja estampado na revista, inclusive com novas denúncias.

Diploma de dizimista assinado por "Sr. Jesus Cristo"

Diploma de dizimista assinado por "Sr. Jesus Cristo" (Foto: @derekshep)

O SBT discretamente, também tomou partido contra a Record/Universal. Por dois dias, os telejornais da emissora destacaram o caso. Na edição de hoje, a emissora entrevistou dois ex-fiéis que afirmaram que foram extorquidos e perseguidos por fiéis da igreja. A emissora também falou do caso do Diploma de Dizimista assinado pelo “Sr. Jesus Cristo”. O jornal ainda entrevistou um ex-obreiro da Igreja, que disse que se desligou depois que participou da chamada “Fogueira Santa de Israel”, quando um pastor pediu para ir no mercado comprar um óleo qualquer para dizer que era o “Santo Óleo de Israel”.

A Universal está sozinha e atacada por todos os lados. Com a Record sendo ameaçada em audiência pelo SBT, a única atração que sustenta a vice-liderança da emissora é A Fazenda, que está próxima do fim, usada e abusada em toda a programação. A Igreja Universal está combalida, e sua estrutura interna já está abalada: com disputas internas e com a saúde de Edir Macedo supostamente fragilizada.

Salário de Gugu é pago com dízimo da Universal

Salário de Gugu é pago com dízimo da Universal (Foto: Arquivo)

Será que dessa vez a Igreja Universal escapa impune e ilesa dessas acusações? O esquema está a mostra, só não ver quem quer, ou quem tem os olhos tapados. Todos nós sabemos que o Império Record foi montado com o dinheiro dos fiéis da Universal do mundo inteiro. Contratos milionários, como o de Gugu Liberato, que recebe R$3 milhões por mês são mantidos pelo dinheiro extorquido dos fiéis. É fato que a Record tem um poder financeiro absurdo graças à Universal que, por pura incompetência, não têm mais refletido na audiência. A Record diz que ameaça a liderança da Globo, o que de fato não é verdade. Os números do Ibope comprovam que na média-dia em São Paulo a Rede Globo lidera na audiência com 20 pontos, enquanto a Record chega a, no máximo 7 e o SBT 6 pontos.

É bom deixar claro que a nossa intenção não é defender a Rede Globo, mas sim mostrar os fatos, que as acusações da Rede Globo não é por causa de audiência como a Record afirma, mas sim porque a Record usa meios sujos para se manter e disputar a audiência na TV. É claro que a Globo não é santa, longe disso, a Globo leva vantagens sim nessas denúncias, mas isso não diminui e nem ameniza a culpa da Record e da Universal no caso.

Vamos acompanhar os próximos capítulos da guerra Folha/Estadão/Globo/SBT x Record/Universal. Os mais poderosos irão ganhar. Quem tem mais poder?

Notas Rápidas #1

TECNOLOGIA: Fim da novela Yahoo x Microsoft
A Yahoo deu assim por terminadas as negociações com a Microsoft, e estableceu um acordo com a Google para a colocação de anuncios nas páginas de busca, podendo conseguir atingir uma facturação por ano a rondar os oitocentos milhões de dólares (no primeiro ano valor poderá ficar entre os 250 e os 400 milhões).

TELEVISÃO: Pantanal recupera e empata com Record por 6 minutos
Depois da queda de quarta-feita, quando ficou em quarto lugar com 6 pontos, a novela Pantanal se recuperou e marcou 9 pontos com picos de 12, empatando com a Record nos últimos seis minutos de exibição. Das 23h06 às 23h09, o SBT e a Record marcaram 11 pontos. Às 22h10, as duas emissoras marcaram 12 pontos e às 22h11, último minuto de Pantanal, o placar foi 12 x 11 para o SBT.

FUTEBOL: Itália empata com Romênia e fica em situação
Depois de perder na estréia para a Holanda, a seleção da Itália, atual campeã do mundo, ficou em situação difícil na Eurocopa-2008 ao empatar por 1 a 1 com a Romênia, nesta sexta-feira, pelo Grupo C da competição. Com o resultado, os italianos somam apenas um ponto no torneio, assim como a França. A Holanda lidera com três, enquanto a Romênia soma dois.

Cadê a Qualidade?

(Por Luan Borges)

“Q de Qualidade só se vê na Globo”, “Qualidade também se vê na Record”, “A Qualidade que só o SBT tem”. Essa palavra está na moda. Todas dizem que tem “qualidade”. A Globo mostrou a sua qualidade, o seu “Padrão Globo de Qualidade”, falando dos estúdios de milhões de dólares, mostrando sua grandeza. Já a Record mostrou sua qualidade em números, mostrou seu crescimento de 2004 à 2008. Já o SBT mencionou rapidamente na chamada do então “Novosídolos”, querendo atacar a Record.

Mas será que a TV brasileira tem qualidade, ou só ego? É inegável que a TV brasileira é uma das que mais se destacam no mundo, junto com a americana e a mexicana, mas será que destaque é sinal que qualidade? Novelas com efeitos bizarros, estilo copiado, grades repletas de enlatados, jornalismo manipulado, falta de investimentos, trocas repentinas de horários, e, o principal, o sensacionalismo barato. São fatores que mostram que a qualidade passa longe.

O caso Isabella é um ótimo exemplo para mostrar que, na verdade, o sensacionalismo barato e a guerra pelo Ibope rondam a TV brasileira. Começou com a Record, que conquistou a liderança durante diversas vezes explorando o caso, o que obrigou as outras emissora a também explorarem o caso, inclusive a tal emissora do “Q”. Todos os telejornais da televisão brasileira, em especial os policiarescos como “Brasil Urgente”, “Balanço Geral” e o extinto “Aqui Agora”, só tinham uma pauta: Caso Isabella. Num instante não existia mais assassinado, corrupção e nem dengue no Brasil, só Caso Isabella. Vendo os índices da cobertura do caso, os programas de variedades como “A Tarde é Sua” e “Mais Você” também entraram na “cobertura”, e novelas, fofocas e culinária deram espaço a morte da menina Isabella. Isso é qualidade? Sugar o sangue de Isabella Nardoni só pra liderar no Ibope e terminar o mês comemorando o aumento na audiência que, logo após o fim do caso, cairá?

O problema não é somente as emissoras não colocarem programas de qualidade na TV, mas também o público brasileiro não gostar que qualidade. Como é possível a novela “Caminhos do Coração”, uma novela que tem um ótimo elenco, porém um texto vergonhoso do “Rei do Ibope” Tiago Santiago, e efeitos de última categoria marcar 20 pontos de audiência enquanto “Ciranda de Pedra”, uma novela com um elenco melhor ainda, um excelente texto e ótima produção marcar apenas 17, 19 pontos? O pior está mesmo é na TV Cultura, toda a TV Cultura, que nas pesquisas “boca-a-boca” todos dizem assistir, mas na pesquisa do Ibope disputa audiência com a Gazeta.

Além da falta de qualidade, tem também a “emissora preguiçosa”. A RedeTV! e o SBT são exemplos disso.

Em uma, basicamente, só existem quatro programas na grade diária, todos falando sobre os programas da Globo. Nem quando ela tinha uma produção própria, a excelente série “Donas de Casa Desesperadas”, os programas só falavam da Globo. Curiosamene, esses programas têm mais de 3 horas de duração.

Na outra, são os enlatados e reprises que dominam a programação. Desde às 7 da manhã até às 10 da noite são programas enlatados, salvo dois infantis, que não tem grande produção, e o “Casos de Família”, um programa de baixo orçamento porém cativante. Novelas? Só “Chiquititas”, “Lalola” e “Privilégio de Amar”, as duas primeiras argentinas e a segunda reprise mexicana, o tal “Vale a Pena Ver (5 Vezes) de Novo”.

Ó, Qualidade, onde estás? Talvez por esse “sumiço”, o “share” (números de televisores ligados), tenha caído muito, e o número de internautas brasileiros crescidos bastante. As emissoras não querem assumir, mas é inegável. É só ver ao seu redor. Não se comenta mais novelas, mas sim comunidades do Orkut e vídeos do Youtube. É a migração do rádio pra TV acontecendo de novo, só que da TV pra Internet. E tudo por culpa da letra F e Q: Falta de Qualidade.