Televisão: As novelas latinas além do SBT

SBT foi pioneiro nas novelas estrangeiras, mas as outras emissoras foram atrás do pote de ouro latino-americano

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

Tudo começou com “Los Ricos También Lloran”, a primeira novela latina exibida no Brasil, pelo SBT, em 1983. De lá para cá, a emissora do Silvio Santos exibiu incontáveis novelas latinas, entre mexicanas, colombianas e argentinas. A novela latina mais recente exibida no SBT foi “Lalola”. Mas não foi só o SBT que exibiu novelas dos nossos hermanos latinoamericanos. Ambicionados pelas novelas a peso de banana e com ótima audiência, com exceção da Globo, todas as outras emissoras também foram atrás dessa fonte de sucesso.

Continuar lendo

Anúncios

Televisão: CNT estréia série mexicana amanhã

“S.O.S – Sexo y Otros Segredos” estréia amanhã na faixa especial da emissora

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

A CNT irá estrear nesta sexta (30) a série mexicana “S.O.S – Sexo y Otros Segredos”. A série será exibida graças a um acordo assinado entre a CNT e a Televisa, para que a emissora paranaense exiba produtos mexicanos em sua programação.

A série, que está em sua segunda temporada no México, conta a história de cinco amigas inseparáveis, porém três delas morrem. Por um erro na entrada delas no paraíso, é permitida uma segunda chance delas na Terra, com a condição de encontrarem o seu sentido na vida e dar um pouco de divertimento aos céus. “S.O.S”, como é chamada no México, é uma série repleta de mistério, drama, ação, terror e comédia.

O elenco da série é bem conhecido do público brasileiro. Duas da cinco amigas protagonizaram uma das novelas mexicanas de maior sucesso no Brasil. Susana González, que vive a personagem Tania, fez as novelas “Rosalinda”, “Amigas y Rivales” e “Feridas de Amor”. Já Chantal Andere, que vive Natalia, fez as novelas “Marimar”, no papel da vilã Angélica; “A Usurpadora”, como a perturbada Estefaní Bracho e “Amor Real”, como Antonia Morales.

A série será exibida pela CNT todas as sextas, às 22h30, depois do CNT Jornal com Salete Lemos.

TELEVISÃO: E lá volta a Televisa pra CNT

Está confirmado: a CNT exibirá no Brasil as novelas da Televisa. “Fonte de Amor”, já exibida pelo SBT como “Manancial” e “Sonhos e Caramelos”, novela infantil inédita, com a participação de Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, da série “Chaves”.

Enquanto a CNT exibirá as tramas originais, a Record fará remakes das tramas, para consolidar o terceiro horário de novelas. As primeiras histórias que serão adaptadas são “A Outra” e “Rubí”. Inclusive, a Televisa não autorizou o SBT a reexibir a novela “A Outra” porque a Record fará o remake.

Na década de 90, a Televisa assinou um contrato com a CNT, porque o SBT não se interessava mais pelas novelas mexicanas. Foi quando a CNT começou uma forte ascenção na audiência, com a reprise de novelas já exibidas com sucesso pelo SBT, como “Simplesmente Maria” e “Meus 15 Anos”, além de novelas inéditas, como “Canavial de Paixões”, que em 2001 recebeu uma versão nacional pelo SBT.

“Sonhos e Caramelos” foi responsável pelo cancelamento do horário de novelas infantis da Televisa, tamanho o fracasso no México da novela. Já “Fonte de Amor”, ou “Manancial”, teve um relativo sucesso em sua terra natal, e aqui no Brasil também, exibida às 18h00 no SBT. Em agosto, a CNT irá exibí-la às 19h00.

Especial: Teledramaturgia mexicana comemora 50 anos

Novelas mexicanas

Este ano, a teledramaturgia mexicana completa 50 anos de existência. O primeiro sucesso produzido pela Televisa foi Coração Selvagem, em 1966. No Brasil, a primeira novela exibida foi “Os Ricos Também Choram”, produzida em 1979 e exibida na TVS/SBT em 1982 e logo foi um sucesso, o que fez com que a atriz principal, Verónica Castro, viesse ao Brasil prestigiar o sucesso da obra.

No México, as novelas da Televisa são líderes absolutos de audiência, porém também há uma grande produtora de novelas, de melhor qualidade de produção e de texto, a TV Azteca. Nesses últimos anos, as novelas da TV Azteca ganhou muita audiência, o que obrigou a Televisa a fazer mudanças drásticas em suas produções: reduzir exageros de maquilagem e abordar temas mais polêmicos em suas produções, fato que começou a partir de “Amigas y Rivales”.

No Brasil também houve a guerra Televisa x TV Azteca durante algum tempo: a Bandeirantes comprou algumas novelas da emissora e colocou-as no mesmo horário das novelas da Televisa no SBT, porém não deu muita audiência e a emissora dos Saad parou de importar as novelas.

As novelas de maior destaque da TV Azteca são: “La Hija del Jardinero”, “Lo que Callamos las Mujeres” e “La Vida és una Canción”, além da versão mexicana de “High School Musical”, que ganha da série “RBD: La Família”.

No Brasil, as novelas mexicanas conquistaram todo o público. Suas histórias simples, que emocionam todo o público foram a fórmula do sucesso desse gênero de telenovela. Desde “Os Ricos Também Choram”, são inúmeros sucessos. Alguns sucessos são “Carrossel” (1989), “Chispita” (1982), “O Direito de Nascer” (1981).

As novelas protagonizadas pela atriz e cantora Thalía fizeram tanto sucesso que foram reprisadas várias vezes. São elas: “Maria Mercedes”, exibida em 1996 com reprise em 1997 e em 2003; “Marimar” exibida em 1996, com reprise em 1997 e 2004; “Maria do Bairro”, exibida em 1997, com reprise ainda em 1997, 2004 e 2007; e “Rosalinda”, exibida em 2001, com reprise em 2004.

Além das novelas da Thalía, também entram na lista de sucessos as novelas “A Usurpadora”, também reprisada várias vezes, com a primeira exibição em 1999, com reprises em 2000, 2005 e 2007, e algumas mais recentes, como “A Feia Mais Bela”, exibida em 2006 e “Rebelde”, exibida em 2004.

Além, claro, sempre se matem no topo da lista as séries Chaves e Chapolin, escritos, produzidos e protagonizados por Robérto Goméz Bolaños, o Chespirito.

Algumas novelas do México, em especial da Televisa, já foram vendidas para mais de 180 países, principalmente as protagonizadas pela Thalía. Inclusive, rola pela internet uma história que nas Filipinas, a novela “Marimar” foi responsável por um acordo de paz em uma guerra civíl. O motivo era que, no horário da novela, todos paravam de guerrear para assistir aos capítulos da novela.

Só a Televisa produz cerca de 16 telenovelas ao ano, enquanto a Globo produz 8 telenovelas ao ano.

Os casais que marcaram as telenovelas mexicanas foram Fernando Colunga e Talía em “Maria do Bairro”, Jaime Camil e Angélica Vale em “A Feia Mais Bela”, César Évora e Victoria Ruffo em “A Madrasta” e “Abraça-me Muito Forte” e Fernando Colunga e Gabriela Spanic em “A Usurpadora”.

As novelas de maior audiência no México, pela ordem, são: “Amor Real” (2003), “A Feia Mais Bela” (2006), “A Madrasta” (2005) e “Destilando Amor” (2007).
Em homenagem aos 50 anos de novelas mexicanas, está sendo exibida no México a novela “Amor sin Maquillajen”, que conta a história das telenovelas por meio de três gerações de maquiadoras de novelas. Estreou em setembro no México e não há previsão de quando vai estrear no Brasil. Ou se vai estrear, já que parece que o SBT romperá o contrato de importação de novelas. Em meio as comemorações de meio século de novelas, será que a teledramaturgia mexicana perderá uma de suas maiores parceiras?

Veja alguns vídeos de novelas mexicanas (algumas em espanhol):

Abertura “La Hija del Jardinero”

Parte de “Lo que Callamos las Mujeres” (Espanhol)

Soraya leva fora de Luiz Fernando e bate em Esperança (Maria do Bairro)

Maria Mercedes enfrenta Malvina (Maria Mercedes – Espanhol)

Cenas de “Carrossel” e abertura

Abertura “Os Ricos Também Choram”

Paola trama armadilha para Paulina e Carlos Daniel (A Usurpadora – Espanhol)

Abertura Rosalinda

Dia do aniversário de Mia (Rebelde – Espanhol)

Alessandro encontra Sônia morta (Rubi)

Abertura de “Mundo de Feras”

Maria do Bairro deverá substituir A Usurpadora

Segundo fontes internas, o SBT já definiu a substituta de A Usurpadora. Será a novela “Maria do Bairro”, a última parte da chamada “Trilogia das Marias” e a que mais deu audiência. Será a terceira reprise da novela. A novela “Maria do Bairro” faz parte de uma tática do SBT de dar “uma chance” para as novelas da Televisa, que as tramas inéditas não tem rendido bons índices.

A novela conta a história de Maria, uma menina de quinze anos, que vive com a sua madrinha Cacilda, em um bairro pobre. Após a morte de Cacilda, Maria vai trabalhar para uma casa riquíssima, onde se torna uma espécie de filha adotiva. No entanto, há alguém que a odeia: Soraya, a sobrinha de Luis Fernando e Vitória.

A novela conta com Thalía e Fernando Colunga como Maria Hernandéz de la Vega (Maria do Bairro) e Luis Fernando de la Vega. Um detalhe é que Fernando Colunga está no ar em A Usurpadora, no papel de Carlos Daniel Bracho.