Las duas caras de Doña Bella

A novela brasileira que fez sucesso no exterior ganha nova roupagem latina, completamente diferente do original

Por Luan Borges

Ana Jacinta de São José foi um personagem histórico brasileiro, uma das personalidades mais influêntes das Minas Gerais no século XIX, e viveu em Araxá, MG. Esta é Dona Beija, que teve sua vida retratada em dois livros: Dona Beija, a Feiticeira do Araxá, de Thomas Leonardo e A Vida em Flor de Dona Beija, de Agripa Vasconcelos. Os dois livros deram origem a telenovela Dona Beija, produzida pela extinta Rede Manchete em 1986 e reprisada em diversas ocasiões. A última em 2009, no SBT.

A novela foi vendida para todo o mundo, e fez bastante sucesso no mercado latinoamericano. Tanto sucesso que a novela ganhou uma nova versão em língua hispânica. Mas como refazer uma produção baseada em um personagem histórico brasileiro, que tem como plano de fundo um momento único para a nossa história, como a Inconfidência Mineira, o Movimento Republicano e Abolicionista? Simples: tira tudo isso.

É isso que acontece em Doña Bella, produzida pela colombiana RCN Televisión – a mesma que produziu Betty, a Feia –, para a hispano-americana TeleFutura. A nova versão de Dona Beija utiliza-se apenas da espinha dorsal da história, verdadeira, de Ana Jacinta de São José, demonstrando um total desrespeito das emissoras latinas não só com a história e a teledramaturgia brasileira, mas também com o público. Se perde do figurino, cenário, importância dramatúrgica, atuação e mais um pouco: se perde da verdadeira história.

Enquanto na versão brasileira Dona Beija é raptada por Mota, ouvidor do rei, e levada para a cidade de Paracatu e lá, para se vingar de seu sequestrador, se entrega ao bel prazer dos homens poderosos daquela região, em troca de jóias e ouro, que a deixa por ser chamado para o Rio de Janeiro pelo rei; na versão latina, Doña Bella é raptada por um mega empresário, estuprada e abandonada por ele.

Enquanto a nossa Dona Beija, após voltar para Araxá, é rejeitada por Antônio, já casado com outra mulher, Beija funda a histórica Chacará do Jatobá, um refinado bordel onde ela é a cortesã, a Doña Bella deles volta para Araxá – sim, a história deles se passa no Brasil –, é rejeitada por Antonio, já casado com outra, começa a se prostituir, sem lembrar o glamour de Dona Beija.

Doña Bella não passa nem perto da importância histórica e das peculiaridades da dramaturgia única da extinta Manchete. Lembra sim as mais melodramáticas produções da Televisa, cujo a sinopse parece ter surgido de mais um surto criativo de Inés Rodena. É usar a embalagem de um belo produto, pra vender um genérico de péssima qualidade.

Anúncios

SBT ‘finalmente’ exibirá Ana Raio e Zé Trovão

tag-mídia

Depois de “muitas reuniões”, o SBT “finalmente” exibirá “um dos maiores sucessos da TV brasileira”

Por Luan Borges

O SBT irá reapresentar, a partir do dia 7 de junho, a novela “A História de Ana Raio e Zé Trovão”, produzida pela extinta TV Manchete em 1991, em substituição a novela “Pantanal”, líder de audiência na época. O SBT iria exibir a novela em 2009, mas optaram por reapresentar a novela “Dona Beija”, também da Manchete.

Segundo as chamadas da própria emissora, a novela será exibida em uma nova edição, com mais rítimo e menos capítulos. Há quem diga (by Vanucci) que será exibida a versão compacta de 92 capítulos exibida em 1993. Seguindo a tradição do SBT, a novela será exibida “após a novela da Globo”, às 22h15.

A exibição é uma clara demonstração que Silvio Santos voltou ao poder, já que a Faixa de Shows 1, conhecida também como o antigo “SBT Show” frequentemente fica atrás da Band em audiência. Veja a a chamada da novela.

SBT contrata Betty Faria para Uma Rosa com Amor

midia

Atriz que encarnou Tieta fará novela de Tiago Santiago

Por Luan Borges

De acordo com a coluna “Telenotícias”, do jornal carioca O Dia, o SBT contratou a atriz Betty Faria para a próxima novela da emissora, “Uma Rosa com Amor”.

Além de Betty Faria, o SBT também contratou as atrizes Lucia Alves e Carla Marins, que já fizeram participações em atrações globais.

“Uma Rosa com Amor” será escrita por Tiago Santiago, o mesmo autor de “Prova de Amor” e “Caminhos do Coração”, ambas da TV Record. A história original é de Vicente Sesso e foi produzida originalmente na década de 70 na TV Globo.

TELEVISÃO: Senhora do Destino continua no ar

Globo consegue reverter decisão da Justiça e mantém reprise no ar
Por Luan Borges

Como esperado, a Rede Globo conseguiu reverter a decisão do Ministério da Justiça de mudar a classificação da reprise da novela “Senhora do Destino”, de Aguinaldo Silva, para 12 anos (Impróprio para antes das 20h).

Segundo o Ministério da Justiça, a trama estava imprópria para o horário da tarde, por conter violência e linguagem sexual. A Globo, que tinha cinco dias para acatar a decisão, entrou com recurso e venceu, portanto, Senhora do Destino permanece no ar.

A Classificação Indicativa já está virando instrumento de censura. Enquanto programas como “A Fazenda” recebe classificação 10 anos (exibição em qualquer horário), o infantil “Bom Dia & Cia” também recebe a mesma classificação. Logo, na visão do Ministério da Justiça, A Fazenda, que tem brigas pesadas e romances se iguala ao Bom Dia & Cia, que exibe desenhos e sorteia prêmios. Quais são os meios utilizados pelos ‘censores’ para classificar os produtos? Linguagem, horário ou poder de influência da emissora avaliada?

Em breve, no horário da tarde, poderão apenas ser exibidos filmes da Xuxa e desenhos do Discovery Kids. É lamentável a hipocrisia do Ministério da Justiça, que veta novela e Maisa, mas descuida da própria Justiça.

TELEVISÃO: ‘Senhora do Destino’ pode sair do ar antes do fim

Reprise do ‘Vale a Pena Ver De Novo’ recebe classificação 12 anos e só pode ser exibida depois das 20h

O Ministério da Justiça (MJ) reclassificou a faixa etária da reprise da novela Senhora do Destino, exibida dentro da sessão Vale a Pena Ver De Novo, da Rede Globo. O decreto, publicado hoje no Diário Oficial da União (DOU), reclassifica a novela como Imprópria para menores de 12 anos, tendo a sua exibição permitida somente após às 20h.

No DOU, o decreto do diretor do MJ informa que a Rede Globo foi advertida formalmente por duas vezes. A emissora pediu um prazo de 30 capítulos para adequar a obra, mas na visão do MJ, a novela não foi adequada ao horário.

O motivo alegado pelo MJ é que a atração contém “assassinato, agressão física e verbal e linguagem de conteúdo sexual”. A decisão entrará em vigor em cinco dias úteis a partir da data de publicação (hoje).

A Rede Globo ainda não se pronunciou sobre o assunto.

TELEVISÃO: Silvio engana a todos e exibe “Dona Beija”

Silvio Santos engana a todos os colunistas de TV e exibe ‘Dona Beija’ no lugar de ‘Ana Raio e Zé Trovão’

Por Luan Borges
Direto ao Ponto // Inovando e Informando

Silvio Santos provou que é o mestre da televisão ontem. Durante meses, sinais de que a novela “A História de Ana Raio e Zé Trovão” seria reprisado pela emissora, foram espalhados. Apesar dos sinais, depois de um aviso na tela, informando que a trama foi adiquirida legalmente, quem entrou no ar mesmo foi “Dona Beija”, pegando de surpresa a todos os colunistas de TV.

“Dona Beija”, produzida em 1986, quando a TV Manchete tinha apenas 3 anos, abriu a emissora para o mercado internacional de telenovelas, e consolidou a então jovem emissora como produtora de produções de qualidade.

A minissérie, que tem com 89 capítulos, conta com Maitê Proença, Gracindo Jr., Bia Seidl e Arlete Salles. Teve co-direção de David Grimberg e Herval Rossano.

Silvio mostrou para os colunistas de TV, que se acham tão entendedores do assunto, que ele é o homem de televisão. Sabe surpreender tanto o telespectador quanto a mídia. Afinal, com Silvio Santos e SBT sempre foi assim: nada é o que parece ser.

Vicente Sesso vende roteiros pro SBT

‘Minha Doce Namorada’ e ‘Uma Rosa com Amor’ entra para o acervo do SBT

Por Luan Borges // Direto ao Ponto
Ouça a Rádio Total Mais

Minha Doce Namorada deu a Regina Duarte o titulo de namoradinha do Brasil

"Minha Doce Namorada" deu a Regina Duarte o título de 'namoradinha do Brasil'

Vicente Sesso, autor de sucesso da Rede Globo nos anos 70, vendeu os direitos de duas de suas obras para o SBT: “Minha Doce Namorada” e “Uma Rosa com Amor”.

No contrato de venda, há uma cláusula que proibe a adaptação das tramas por qualquer pessoa além do próprio Vicente Sesso ou alguém com sua autorização, o que descarta a possibilidade de mais um texto de autoria de Íris Abravanel.

Produzida para o horário das 19h na Rede Globo na década de 70, “Minha Doce Namorada” deu a atriz Regina Duarte o título de ‘namoradinha do Brasil’, que acompanha a atriz até hoje.

Outra trama que foi vendida para o SBT foi “Uma Rosa com Amor”, também produzida para às 19h na década de 70.

As novelas de Vicente Sesso podem ser produzidas para o segundo horário de novelas, que Del Rangel, diretor de teledramaturgia do SBT, pretende começar neste ano.