RIO: Tromba d’água surpreende moradores

Fenômeno surpreendeu frequentadores na praia de São Conrado.
Frente fria deve continuar até quinta-feira, ocasionando tempo nublado.

Vivianne Banharo
Do G1, no Rio

 O cone se formou bem perto da costa, em São Conrado, na Zona Sul (Foto: Ana Pini / TV Globo)

O cone se formou bem perto da costa, em São Conrado, na Zona Sul (Foto: Ana Pini / TV Globo)

Apesar do tempo chuvoso, quem passou pela praia de São Conrado, na Zona Sul do Rio, na manhã desta terça-feira (21), foi surpreendido por uma tromba d´água no mar. Foi o caso de alguns praticantes de voo livre, surfistas, porteiros e moradores da região.

“Como o tempo não estava bom para decolar, estávamos aqui no calçadão quando aconteceu. O trânsito parou e as pessoas desceram dos carros para ver. Tudo começou a uns 500 metros da praia, passou pelos surfistas que estavam na água e terminou nas pedras. Levou uns 15 minutos”, conta o instrutor, que faz voo duplo, Rafael Watson.

Mesmo com o movimento fraco, o assunto no quiosque onde trabalha Francisco Pereira era o fenômeno meteorológico. “Tinha quase a altura de um poste, mas não fiquei com medo porque percebi que estava indo para o outro lado”, conta. “Trabalho há 30 anos aqui na praia. Já vi golfinho e baleia, mas isso eu nunca tinha visto”, completa o ambulante Ademir Ribeiro.

Morador de um dos prédios de frente para o mar, o corretor José Ribeiro Santiago, estava passeando com o cachorro e não se conformava de ter perdido o flagrante. “Nunca vi isso acontecer no quintal da minha casa, foi uma pena ter perdido”.

O empresário Rodrigo Castro esteve em São Conrado para aproveitar as ondas e conversou com surfistas que estavam dentro da água na hora da tromba. “Eles disseram que as gaivotas tentavam voar contra o vento. Mas não teve nada de assustador, todo mundo achou bonito”, comenta.

Meteorologista explica o fenômeno

“Tromba d’água é uma espécie de tornado na água”, explicou o meteorologista Lúcio de Souza, do Inmet, “um tornado causa danos mais severos. A tromba d’água tem vida curta e é associada a nuvens que causam tempestades em áreas quentes e úmidas, na baixa atmosfera, o que foi comprovado por imagens de satélite”

Para quinta-feira (23), quando há um novo feriado no Rio, a frente fria deve continuar no oceano, ocasionando tempo nublado. Segundo Lúcio de Souza, pode chover a qualquer momento nas próximas 48 horas, e em 72 horas, o tempo deve melhorar.

Anúncios

Rio de Janeiro: Chuva deixa Defesa Civil em estado de atenção

Forte chuva atinge Rio de Janeiro, deixa ruas alagadas e deixa Defesa Civil em alerta

Por Luan Borges
Direto ao Ponto

Uma forte chuva repentina atingiu o Rio de Janeiro nas últimas horas, deixando o trânsito lento e a Defesa Civil em estado de alerta, com profissionais de plantão em 24 horas. Segundo o telejornal RJ Record, o pior da chuva já passou. Veja as condições do trânsito e a previsão do tempo para essa semana:

Continuar lendo

TEMPO: Chuva no Sudeste fica até sexta

A terça-feira permanece com muito frio no Rio de Janeiro, famosa por sua temperatura beirando os 40º. Segundo o Canal do Tempo, a temperatura na cidade é de 19ºC, um dos dias mais frios do ano.

Nas últimas semanas do inverno o frio resolve aparecer. Uma frente fria estacionou sobre a região sudeste e deve permanecer até sexta-feira, segundo o Climatempo, quando sol resolve aparecer entre as nuvens, mas é no sábado que a situação deve ser firmar.

Em São Paulo, a temperatura deve ficar entre 21ºC e 12ºC, com nevoeiro durante a manhã e nuvens durante a tarde e a noite, e 10% de chuva. No sábado, chove durante a noite, e a temperatura fica entre 27ºC e 13º. No domingo, volta a chover: mínima de 15º e máxima de 21º.

No Rio de Janeiro, a situação não é muito diferente: na sexta, o sol aparece, com alguns períodos nublados. Máxima de 26º e mínima de 13º. No sábado, a temperatura sobe e o sol aparece por inteiro, com formação de nuvens ao decorrer do dia. Máxima de 29º e mínima de 13º. E no domingo, a situação é boa para quem pode ir para a praia: sol o dia todo, com pancadas de chuva durante a noite. Máxima de 31º e mínima de 15º.

Veja a temperatura máxima para todas as regiões do Brasil no mapa abaixo para as próximas 72 horas:

Chuvas voltam a castigar o Rio

(Por Luan Borges)

É assim todo ano. Chega a metade de março e as chuvas castigam novamente o Estado do Rio, e os mesmos problemas de sempre voltam: deslizamentos de terra, ruas alagadas e o surto da Dengue. Desde ontem a noite chove sem parar e na madrugada desta sexta, dia 14, Jéssica Macedo Padilha, de 12 anos, morreu no desabamento de um barraco na cidade de Nova Friburgo, na Região Serrana. Ela chegou a ser resgatada com vida, mas morreu quando chegou no Hospital Raul Sertã.

Com a chuva, o acumulo de água da chuva é um excelente criadouro para o mosquito da dengue, e, normalmente, depois dessas chuvas em Março vem um forte calor, ótimo para o mosquito.

Todo ano acontece a mesma coisa. Entra Governo e sai Governo, continua a mesma coisa. E nunca ninguém fez nada para mudar esse fato. Quando uma cidade tão bela quanto o Rio de Janeiro deixará de sofrer pela mesma coisa todos os anos?

Forte tempestade causa prejuízos no Rio

Uma forte tempestade atingiu a região metropolitana do Rio no início da noite de ontem (10/02). A chuva, que foi acompanhada de ventos de 70 km/h, causou a queda de árvores, alagamentos e deslizamento, além de diversos bairros da cidade ficaram sem luz. A sede do Blog Internacional, em Realengo, ficou sem luz mais de duas horas. Alguns pontos da cidade, como partes do bairro de Jacarepaguá, continua sem luz.

Rio: Chove o equivalente à um mês

Em menos de 24 horas, choveu o equivalente à um mês em todo o estado do Rio de Janeiro. Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), deverá chover por mais dois dias no Rio. De acordo com a meteorologista Ana Maria Matos, em 24 horas, chegou a chover 117,2 mm, quantidade equivalente à 30 dias de chuva

A interdição do túnel Rebouças mudou a rota de dez linhas de ônibus na cidade. Segundo informações da prefeitura, duas delas –560 e 570–, que saem do largo do Machado, em Laranjeiras, estão passando pela rua Pinheiro Machado para transportar os passageiros até Ipanema, Leblon e Copacabana.

Ainda segundo a administração municipal, as outras oito linhas vão circular pelo trajeto alternativo, via Santa Bárbara, enquanto durar a interdição do túnel Rebouças, são 460, 462, 462 e 463 –que saem de São Cristóvão–; 473 e 476 –que ligam Triagem ao Leme; a linha 438 (serviço especial) que liga o Leblon a Vila Isabel; e a 110, que liga a Rodoviária ao Leblon.

A recomendação da Defesa Civil ainda é que as pessoas usem os transportes públicos. A SuperVia usa toda a frota de trens. O Metro Rio tem intervalos de 8 minutos.